sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Sibéria

Não acredito que os fãs de Keanu Reeves vão gostar muito desse filme. Todo rodado na Rússia, ele se propõe a ser ao mesmo tempo um filme de ação e romance e no final das contas falhas nas duas opções. Reeves interpreta um negociante americano que vai até a Rússia para comprar e revender raros diamantes azuis. O valor, claro, é exorbitante. Seus clientes são mafiosos, sujeitos violentos e que não aceitam falhas nesse tipo de negócio. Só que o fornecedor dele já foi pego vendendo diamantes falsos e pior do que isso, já se queimou com a máfia russa.

O roteiro tem buracos. O espectador nunca fica sabendo, por exemplo, se o protagonista é apenas um vendedor de diamantes raros ou se tem alguma ligação a mais com o mundo do crime. Nada fica muito claro. Não procure também por muita ação nesse filme. Só há mesmo uma cena (a final) onde tiros são trocados numa floresta remota da Sibéria. Fora isso só há ameaças e situações de tensão ao longo de todo o filme. Nada parecido com John Wick. Quem gosta de ver Reeves em cenas mais movimentadas vai se decepcionar.

E então vem o lado romântico do filme. Enquanto está esperando por seu fornecedor, Reeves se envolve com uma russa interpretada pela atriz romena Ana Ularu. Ele a conhece casualmente em um bar onde ela trabalha. Depois do flerte vão para a cama, o que rende algumas cenas mais picantes ao filme (também não vá esperar muito nesse quesito). Esse romance entre o americano e a russa me pareceu bem morno. Apesar da pegação na hora do sexo, o Reeves não parece muito empolgado com sua nova namorada. Na maioria das vezes surge frio e distante. Para piorar a situação ela tem um pretendente na vila onde mora, um sujeito que vive bêbado (o que convenhamos é um estereótipo barato do roteiro em cima dos homens russos). Também tem alguns irmãos rudes e toscos que por diversão caçam ursos nas redondezas (outro estereótipo bobo do roteiro). No final fica aquela sensação de que o filme vai avançando sem ritmo, sem pegada, lento demais... tudo culminando numa cena que vai deixar as fãs do Keanu Reeves ainda mais irritadas.

Sibéria (Siberia, Estados Unidos, 2018) Direção: Matthew Ross / Roteiro: Scott B. Smith, Stephen Hamel / Elenco: Keanu Reeves, Ana Ularu, Boris Gulyarin, Ashley St. George / Sinopse: Lucas Hill (Keanu Reeves) é um americano que chega na Rússia para negociar raros diamantes azuis com a máfia, só que ao chegar em solo russo descobre que seu fornecedor está desaparecido, provavelmente morto, por ter vendido pedras falsas a criminosos de São Petersburgo.

Pablo Aluísio.

6 comentários:

  1. Avaliação:
    Direção: ★★★
    Elenco: ★★★
    Produção: ★★★
    Roteiro: ★★
    Cotação Geral: ★★
    Nota Geral: 6.5

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir
  2. Gostei do mote, mas fiquei preocupado com o desenrolar da trama. Acho que vou assistir porque gosto de filmes de negócios, escusos ou não.

    ResponderExcluir
  3. Assista, mas sem grandes pretensões...

    ResponderExcluir
  4. Bem que você me avisou: que filme besta!

    A mulher russa só queria "dar" e deu muito.

    A "musa" da década de "80, Molly Ringwald se presta a ser uma "samambaia" corna.

    E eu não consegui sequer entender o filme, ou seja, a ainda por cima sou burro.

    PS. Pra dizer que não salva nada, há uma certa amoralidade no protagonista que não é normal em filme americano.


    ResponderExcluir
  5. Roteiro com muitos problemas, sem muito foco, mal explicado. O roteiro é sem salvação, mal escrito...

    ResponderExcluir
  6. O que um astro no nível o Keanu Reaves está fazendo nisso? Tá, ele é o produtor, mas mesmo assim...
    O pior é que adorei o começo, o clima e o mote.

    ResponderExcluir