quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Adeus Christopher Robin

O filme conta a história do relacionamento entre um pai e seu filho. O pai é um dramaturgo de sucesso em Londres que precisa superar os traumas da guerra. Veterano na Primeira Guerra Mundial ele retorna para a Inglaterra com problemas psicológicos pelas coisas que viu e viveu no campo de batalha. Acaba encontrando no filho um suporte para isso. Aos poucos vai recuperando o prazer de escrever e de viver. E é justamente nas brincadeiras que tem ao lado do filho em um bosque próximo de sua casa que o inspira a escrever um livro infantil. Esse livro se tornaria um enorme sucesso de vendas, dando origem a uma série de personagens que ainda hoje povoam o imaginário das crianças. O escritor era Alan Alexander Milne, o livro recebeu o nome de "Winnie the Pooh" (no Brasil, "O Ursinho Pooh") e o filho que se tornaria célebre por também fazer parte do livro era o pequeno Christopher Robin.

O roteiro assim apresenta duas linhas narrativas. Na primeira acompanhamos a infância de Robin. De repente ele se torna conhecido mundialmente por causa do livro escrito pelo pai. Entrevistas, aparições públicas e todo o desgaste de ter se tornado uma figura pública mundial ainda quando era apenas uma criança. Na outra linha narrativa, já encontramos Robin como adulto. Ele tem ressentimentos por nunca ter tido paz (justamente por causa da notoriedade do livro) e por essa razão passa a ter um relacionamento conturbado com o pai, que tenta recuperar o afeto do filho. Meio que por rebeldia, meio por tentar seguir seus próprios caminhos, acaba se alistando no exército inglês, justamente no auge da Segunda Grande Guerra Mundial. Embora seja apenas na média o filme se sobressai por trazer a biografia desse autor, o que certamente vai interessar aos apreciadores de literatura inglesa. Também tem um bom elenco, com destaque mais uma vez para a bela Margot Robbie como a mãe de Robin. Nada convencional para a época ela estava mais interessada na fama e no dinheiro vindos do grande sucesso do livro do que propriamente nas necessidades do filho por afeto e carinho materno.

Adeus Christopher Robin (Goodbye Christopher Robin, Inglaterra, 2017) Direção: Simon Curtis / Roteiro: Frank Cottrell Boyce, Simon Vaughan / Elenco: Domhnall Gleeson, Margot Robbie, Kelly Macdonald, Will Tilston, Alex Lawther / Sinopse: O filme conta a história do autor e dramaturgo A.A. Milne que escreveu um dos mais populares livros infantis de todos os tempos, o best-seller "Winnie the Pooh". Na estorinha ele contava as brincadeiras de seu filho único, C.R. Milne, com seus brinquedos, numa casa de campo nos arredores de Londres.

Pablo Aluísio.


8 comentários:

  1. Avaliação:
    Direção: ★★★
    Elenco: ★★★
    Produção: ★★★
    Roteiro: ★★★
    Cotação Geral: ★★★
    Nota Geral: 7.5

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir
  2. Pablo:

    Porque será que basta uma pessoa ter uma infância extraordinária pra se tornar um adulto infeliz?

    ResponderExcluir
  3. A maioria das pessoas que passaram por isso afirmam que perderam a infância por causa de compromissos, etc. Outros dizem que foram explorados comercialmente pelos pais... Acabam ficando traumatizados.

    ResponderExcluir
  4. Eu queria ver se esses retardados ingratos tivessem vivido na pobreza, sem comer o que gostariam, ou até sem comer, sem roupas, presentes de natal,etc. fucariam com essa palhaçada, essa viadagem. Gente besta!

    ResponderExcluir
  5. Pra mim o Roberto Bolaños, criador da serie mexicana Chaves, é tão genial quanto o Charles Chaplin, obviamente, não tão primoroso esteticamente, nem artisticamente, porém a sua mensagem é tão contundente quanto, e, as vezes,até mais, por ser direta.

    Três exemplos em falas que citam a pobreza no seriado Chaves:

    1- -"Chaves, se você ganhasse na loteria o que compraria?" -"Um sanduíche de presunto!" -"deixe de ser burro Chaves, isso é muito pouco!", -"tá bom, dois sanduíches de presunto!

    2- "Qual animal da natureza faz três refeições por dia?" "os ricos!" responde o Chaves.

    3- "O Sr. Madruga ficando bravo com o Chaves que estava ansioso para comer alguma coisa: "Calma Chaves, parece que está morrendo de fome, será que não pode esperar um pouco?" no que o Chaves responde "mas eu já estou esperando a tantos anos!"


    A pobreza cria prioridades e felicidades simples.

    ResponderExcluir
  6. Ele foi o Carlitos Latino. Só não foi mais além porque não fazia cinema e não tinha uma indústria cinematográfica forte por trás, como foi o caso de Chaplin.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, tanto que era chamado na TV mexicana de "Chesperito", pequeno Shakespeare.

      Excluir