sábado, 24 de junho de 2017

CHIPS

Título no Brasil: CHIPS
Título Original: CHIPS
Ano de Produção: 2017
País: Estados Unidos
Estúdio: Warner Bros
Direção: Dax Shepard
Roteiro: Dax Shepard, Rick Rosner
Elenco: Michael Peña, Dax Shepard, Vincent D'Onofrio, Adam Brody, Rosa Salazar, Jessica McNamee

Sinopse:
Um agente do FBI é infiltrado dentro do departamento de polícia de Los Angeles para descobrir uma quadrilha de tiras corruptos. Ele assume então a identidade do patrulheiro Frank 'Ponch' Poncherello (Michael Peña). Ao lado de seu parceiro Jon Baker (Dax Shepard), um ex-piloto de motos de competição, ele quer descobrir quais policiais estariam envolvidos no roubo de carros de transporte de valores. Tudo indica que eles são patrulheiros da CHIPS.

Comentários:
A série "CHiPs" foi um grande sucesso da história da TV americana. Durou seis temporadas e foi exibida (inclusive no Brasil) entre os anos de 1978 a 1983. Marcou época e deixou saudades, sem dúvida. Agora temos essa adaptação para o cinema desse programa que durante anos foi líder de audiência. Os dois personagens principais foram mantidos (Ponch e Baker), mas de resto tudo mudou. Se a série original era um programa policial ao velho estilo enlatado, aqui optou-se por uma linha com mais humor. Não chega a ser uma comédia besteirol, manteve-se ainda um certo pé no chão, porém o lado da comédia falou mais alto. Não é um filme de todo ruim, tem lá seus bons momentos, inclusive no quesito diversão, porém é óbvio que deixará muito a desejar em relação aos fãs da série original. Essa nova dupla de atores obviamente não consegue repetir o carisma da velha dupla (onde se destacava o ator Erik Estrada, que aqui faz uma pontinha na cena final, dentro da ambulância), mas no geral também não aborrece. A conhecida trilha sonora da série, que tinha uma abertura que também ficou muito famosa nos anos 70 e 80, foi timidamente aproveitada, o que achei um erro, já que CHips, queiram ou não, já virou uma peça de nostalgia. Eles deveriam ter investido mais nisso. Assim no saldo final, tirando certos exageros, principalmente no aspecto mais vulgar de certas piadas, até que essa adaptação para o cinema dos patrulheiros californianos não chega a ser tão ruim. É assistível e não enche a paciência, o que em relação a comédias americanas da atualidade já é um feito e tanto!

Pablo Aluísio e Júlio Abreu.

5 comentários:

  1. Avaliação:
    Direção: ★★★
    Elenco: ★★★
    Produção: ★★★
    Roteiro: ★★★
    Cotação Geral: ★★★
    Nota Geral: 7.2

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir
  2. Hummm Pablo, a experiência me diz que quando todos os elogios a um filme estão na forma negativa "Não chega a ser uma comédia besteirol", "Não é um filme de todo ruim", "no geral também não aborrece", etc., eu prefiro declinar da provável chateação.

    ResponderExcluir
  3. Pois é, se não é todo ruim, pelo menos uma parte é ruim! rsrsrs

    Esse Chips repaginado para o cinema não vai agradar muito, reconheço isso, mas como estava em um bom dia quando o vi, fui até bem amistoso na resenha. rsrsrs

    ResponderExcluir
  4. California Highway Patrol. Orra que saudade da série... Eu assistia muito quando era moleque passou aqui no Brasil. Mas sabe aquelas coisas que a gente assiste, nunca esquece e talvez nunca vá ver de novo? Pois é, qual não foi a emoção de estar passeando na praia com a namorada e achar uma banquinha onde tinha 6 dvds do CHiPs? Hoje são meus dvds de cabeceira. Bela postagem Pablo, parabéns. Até vou procurar ver esse filme.
    Grande abraço do Baratta.

    ResponderExcluir
  5. Um filme com um grande desafio para os fãs! O filme é honesto com o público desde seu trailer. Não ilude ninguém, se veste de comédia absurda e dá seguimento em uma história pra lá de maluca cheia de cenas picantes, destruição de carros, seduções via telefone e diálogos pouco construtivos. Com certeza vocês todos conhecem a série de TV chamada CHIPS que durou de 1977 a 83 (um filme que tem que assisitr da programação da hbo ), que foi grande sucesso no mundo mas principalmente aqui no Brasil, onde se idolatrava a presença dos atores, o loiro Larry Wilcox (que parece não estar no filme) e o latino e bonitão Erik Estrada que aparece na sequência quase final. Nada mais era do que uma aventura a sério passada nas estradas da Califórnia com a ação de policiais que usam motos e resolvem crimes. Essa história é boa, mas fica muito distante de ser uma homenagem à Wilcox, Estrada e aos fãs do antigo seriado.

    ResponderExcluir