sexta-feira, 23 de junho de 2017

Nina

Nina Simone foi uma cantora muito popular nos Estados Unidos. Ela teve formação clássica, estudando para ser pianista, porém não conseguiu espaço dentro desse mundo muito exclusivo. Assim resolveu partir para a música popular. Se tornou cantora de boates e night clubs. Com uma voz belíssima ela foi conquistando seu espaço, gravando seus discos (no total lançou mais de 40 álbuns), se tornando muito famosa e respeitada no universo do soul negro dos Estados Unidos. Ao lado da artista talentosa existia também uma mulher atormentada. Alcoólatra, viciada em drogas e com propensão para doenças mentais (ela foi diagnosticada como maníaca depressiva com surtos psicóticos), sua carreira começou a afundar cada vez mais.

O roteiro desse filme se concentra nos últimos anos de Nina. Ela já está completamente decadente, sem nem ao menos conseguir se apresentar ao vivo. Os donos de casas de shows estavam cansados de seus problemas e seus escândalos no palco (ela chegou a esfaquear um homem durante seus concertos!). Quando o filme começa encontramos Nina internada em um hospital psiquiátrico. Completamente surtada ela precisa de cuidados especiais. Com o uso de remédios começa a recobrar a sanidade. Nesse hospital ela simpatiza com um enfermeiro jovem chamado Clifton e resolve contratá-lo como assistente pessoal. Leva o rapaz para a França, onde ela morava, e começa assim uma relação muito próxima que iria durar anos (ele se tornaria empresário dela algum tempo depois).

Como se pode perceber Nina Simone não era uma pessoa de fácil convivência. O filme mostra muitos aspectos negativos de sua personalidade irascível, mas ao mesmo tempo demonstra ter um respeito sempre presente por ela. Esse foi um projeto muito pessoal da atriz Zoe Saldana, que se esforçou bastante para a realização do filme. Produziu e tirou dinheiro do próprio bolso para que essa produção fosse feita. Ela inclusive está muito bem em cena e surpreende quando descobrimos que ela canta praticamente todas as canções do filme, não fazendo feio em momento nenhum! Zoe tem grande talento vocal, isso fica claro nas cenas em que canta. No mais é um resgate dessa cantora que hoje em dia já não é tão lembrada, nem nos Estados Unidos. É um registro importante da vida de Nina, embora cinematograficamente falando seja apenas na média.

Nina (Nina, Estado Unidos, 2016) Direção: Cynthia Mort / Roteiro: Cynthia Mort / Elenco: Zoe Saldana, David Oyelowo, Kevin Mambo / Sinopse: O filme mostra parte da vida da cantora Nina Simone (1933 - 2003). Menina prodígio, era uma excelente pianista clássica, mas não conseguiu vencer nesse meio por causa de problemas raciais. Assim torna-se cantora de soul e depois de muitos anos consegue o sucesso. O filme mostra os últimos anos de Nina quando ela se tornou muito próxima de um jovem chamado Clifton, seu enfermeiro e assistente pessoal. Filme indicado ao Women Film Critics Circle Awards.

Pablo Aluísio.

5 comentários:

  1. Avaliação:
    Direção: ★★★
    Elenco: ★★★
    Produção: ★★★
    Roteiro: ★★★
    Cotação Geral: ★★★
    Nota Geral: 7.4

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir
  2. Pablo, eu ainda não vi esse filme e confesso que tenho um pouco de receio porque não gosto de períodos decadentes de artistas que admiro, me da muita pena.
    Só para exemplificar a grandeza desta artista, peguemos uma musica que por si só é uma armadilha porque é dos Beatles e todo mundo, com raras exceções, estraga as músicas do Beatles quando as regrava; ela melhorou, por incrível que pareça.
    Quando a Nina Simone interpreta Here Come de Sun, ela faz uma divisão muito swingada, a la João Gilberto, ou Chet Baker, ao ponto de, para quem não entende, parecer meio errado, meio atravessado, mas não está, está tudo perfeito, original e maravilhoso; aí vem o seu piano, muito piano (no significado italiano desta palavra), e além disso o timbre da sua voz fabulosa; é como se ela dissesse "é assim que se regrava uma música dos Beatles". Essa sim, era uma verdadeira artista. Tomara que essa biografia a honre como merece.

    ResponderExcluir
  3. Como filme é apenas mediano.
    Como resgate da figura de Nina tem seu valor.
    E sim, ela realmente fez uma bela versão dos besouros.
    Grande gravação. Bem lembrado.

    ResponderExcluir
  4. Me lembrei que a sua canção mais famosa, Sinnerman, é tema de todos grandes os criminosos das telas, desde Thomas Crown (Steven McQueen); passando por Moriarty (serie Sherlock) até Red Reddington (The Blacklist). A Nina Simoni possui uma voz no registro contralto, mas com um timbre muito brilhante que deixa a sua voz com o agudo masculino de um tenor castrati, e essa especificidade vocal imprimi a melodia na nossa mente de tal forma que é difícil esquecer ou ficar indiferente. Eu a admiro muito.

    ResponderExcluir
  5. A música dela é bem marcante. Sua musicalidade me lembra muito o som do final dos anos 60 até mais ou menos metade da década seguinte. E como você prova nessas citações a música dela sobreviveu ao teste do tempo, sempre sendo utilizada em filmes, séries, etc.

    ResponderExcluir