quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Top Secret! Super Confidencial

Já que estamos falando de comédias dos anos 80 que fizeram sucesso nas locadoras de vídeo (lembram delas?) que tal relembrar esse verdadeiro clássico besteirol? Aqui no Brasil o filme se chamou "Top Secret! Super Confidencial" (em uma verdadeira redundância entre o título original e o nacional, onde como sempre nossos tradutores acabaram enfiando os pés pelas mãos!). O filme foi assinado pelo trio maluco ZAZ (Jim Abrahams, David Zucker e Jerry Zucker). Esses caras criaram um novo tipo de comédia no cinema, baseada principalmente no que se via em revistas populares de humor como MAD. A intenção era satirizar o máximo possível a chamada cultura pop, onde não se deixaria pedra sobre pedra em relação a obras cinematográficas ditas sérias. Aqui o trio mirou sua metralhadora de piadas nos clássicos filmes de guerra e espionagem das décadas anteriores. Também tirou uma onda com os filmes musicais estrelados por Elvis Presley nos anos 60. Aliás quero abrir um parêntese aqui. Val Kilmer como um cantor, espião e galã está melhor como uma piada de Elvis Presley do que muito imitador profissional por aí. Aliás Kilmer, novinho e praticamente estreando no cinema, esbanja charme e ironia em seu personagem.

Na verdade "Top Secret! Super Confidencial" não foi a primeira comédia nessa linha. Antes o mesmo trio ZAZ já tinha arrebentado a porta com a divertida e hilariante sátira aos filmes da franquia "Aeroporto" intitulado "Apertem os Cintos, o Piloto Sumiu!". O interessante é que esse besteirol acabou enterrando a própria série de filmes "Aeroporto" pois depois dele ninguém mais conseguia levar à sério os filmes originais. Já "Top Secret!" encontrou seu nicho ideal no novo mercado de vídeo VHS que se espalhava rapidamente na década de 80. Era obviamente outro filme muito gaiato e cheio de zombarias que se tornava ideal para os jovens assistirem em casa com sua turma. Da primeira à última série havia uma profusão incrível de gags pra lá de divertidas, algumas extremamente bem boladas, outras que pegavam o espectador pelo tamanho da bobagem colocada no filme. Sobrou até para o clássico romântico "A Lagoa Azul". Infelizmente não existe fórmula de fazer filmes que não se desgaste e o besteirol, embora ainda vivo, já não consegue ter a mesma graça que tinha em seu surgimento. A proliferação de comédias nesse estilo acabou desgastando o humor que antes era considerado original e revolucionário. De uma forma ou outra não poderia deixar de colocar a dica aqui no blog dessa divertida bobagem nostálgica dos anos 80.

Top Secret! Super Confidencial (Top Secret!, EUA, 1984) Direção: Jim Abrahams, David Zucker, Jerry Zucker / Roteiro: Jim Abrahams, David Zucker, Jerry Zucker / Elenco: Val Kilmer, Lucy Gutteridge, Peter Cushing / Sinopse: Divertida comédia que satiriza filmes clássicos e populares de Hollywood como os épicos de guerra e espionagem e musicais estrelados por Elvis Presley na década de 1960.

Pablo Aluísio e Erick Steve.

4 comentários:

  1. Pablo:

    Esse tipo de besteirol perdeu um pouco a graça porque houve um hipérbole deste formato de comédia por conta da serie Todo Mundo em Panico dos irmãos Wayans, que elevaram de forma exponencial a bobageira e como tudo que é demais sobra, sobrou.

    Não da pra acreditar que esse Val Kilmer do Top Secret é o Val Kilmer balofo de hoje; o galã sumiu. Eu nunca vi alguém envelhecer tão mal, nem o Mel Gibson chegou a tanto.

    ResponderExcluir
  2. Em tempo: a cena em que estação de trem, realmente, anda enquanto o trem está parado, que é exatamente a sensação que temos as vezes quando estamos dentro de algo se movendo e parece que os imoveis é que se movem, é impagável.

    ResponderExcluir
  3. Ah, tem mais uma; a cena que um cantor de ópera é chamado, com vários elogios a suas aptidões vocais, para um apresentação especial para os nazistas e o Val Kilmer diante de tais elogios acha que o apresentado é ele e vai na frente do cantor de opera e canta um rock a moda Elvis. É de rolar de rir de ver a cara dos nazistas.

    ResponderExcluir
  4. Realmente o Kilmer mudou muito. Das cenas bem inteligentes eu destaco aquela em que o Peter Cushing participa. Basta lembrar da lente de aumento, do telefone e outras gags visuais que são muito bem pensadas. Na minha opinião esse tipo de filme começou a decair há muito tempo, eu particularmente não gostava, por exemplo, de Top Gang com o Charlie Sheen. Ali já percebia saturação, então imagine o que acho desses novos que estão sendo lançados atualmente... nem procuro ver mais. E com a morte do Leslie Nielsen a coisa só fez piorar já que ele se especializou nesse tipo de comédia. Pablo Aluísio.

    ResponderExcluir