quinta-feira, 4 de agosto de 2016

William Holden - Submarine Command

Antes de literalmente beber até morrer o ator William Holden teve uma das carreiras mais bem sucedidas da história em Hollywood. Em uma época em que o western estava no auge de sua popularidade, Holden se notabilizou mesmo pelos dramas românticos e pelos filmes de guerra. Da primeira safra basta lembrar dos clássicos "Sabrina", "Crepúsculo dos Deuses" e "Suplício de uma Saudade". Da segunda leva logo nos vem à mente obras primas como "A Ponte do Rio Kwai", "O Inferno Nº 17" e "As Pontes de Toko-Ri". Era um grande astro.

Esse "O Tigre dos Mares" (Submarine Command, EUA, 1951) foi realizado um pouco antes de Holden se tornar um dos atores mais bem pagos do cinema americano. Ainda bastante jovem e ainda colhendo os frutos do maravilhoso "Crepúsculo dos Deuses" (onde havia sido indicado pela primeira vez ao Oscar), Holden resolveu aceitar a proposta da Paramount Pictures para trabalhar em um filme sobre os submarinos americanos na Segunda Guerra Mundial. Como a paz havia sido assinada pelos japoneses apenas seis anos antes os navios ainda estavam intactos e prontos para servirem de cenário para a produção.

A ação do filme se passa praticamente toda a bordo do USS Tiger Shark (Tubarão-Tigre). Um submarino veterano, com mais de 18 vitórias em batalhas navais durante a guerra. É para ele que o Tenente Ken White (Holden) é designado. A guerra então vivia seus últimos dias, com o Japão praticamente destruído. White não era bem conceituado ou considerado entre a tripulação, justamente por ser um oficial ainda sem muita experiência de fogo. E para seu azar tudo começa a acontecer rápido demais. Assim que chega no submarino esse é atacado com cargas de profundidade por navios de guerra do Japão. A violência das bombas acaba causando o caos. White manda a embarcação submergir rapidamente, mas não presta muita atenção ao fato de que o Capitão do Tiger ainda se encontrar no convés. Suas ordens acabam selando o destino do oficial. Ele morre e seu corpo desaparece para sempre no mar.

Isso cria um estigma bem ruim para White. A tripulação cria uma ojeriza em relação a ele. De volta aos Estados Unidos ele é destituído do comando, enviado para trabalhar atrás de uma mesa, em um serviço burocrático sem muita importância (uma verdadeira pena disfarçada pelo que havia acontecido). Quando a guerra da Coreia finalmente surge no horizonte sua carreira dá uma guinada novamente e o alto comando da Marinha o designa novamente como comandante do USS Tiger Shark! E agora, terá como desmistificar tudo o que foi falado de tão mal dele como oficial depois de tantos anos? É justamente em cima disso que o roteiro a partir daí desenvolve seu enredo. No geral é um bom filme de guerra, mas perde e muito se formos compará-lo com outros clássicos da filmografia de Holden. Era o tipo de papel ideal para o ator, mas em uma produção mais modesta, sem tanta pretensão de ser uma obra prima da sétima arte. Como indicação para quem gosta de filmes militares passados no front do Pacífico Sul porém não há o que reclamar. É certamente uma boa pedida.

Pablo Aluísio.

4 comentários:

  1. Avaliação:
    Direção: ★★★
    Elenco: ★★★
    Produção: ★★★
    Roteiro: ★★★
    Cotação Geral: ★★★
    Nota Geral: 7.4

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir
  2. Pablo, há poucos dias você publicou um post do filme Vampiros de Almas. Bom, todos os dias eu corro em um parque próximo a minha casa e hoje eu tive uma visão surrealista. Num horário em que praticamente ninguém está no respectivo parque, hoje havia nos gramados e, também, caminhando muitos jovens andando como zumbis, olhando para seus smartphones, procurando Pokémon GO. Isso mesmo que você leu; Pokémon: um brinquedo que que eu já achava retardado a vinte anos atrás.
    E o pessoal do cinema da década de "50 achava que para dominar mentes das pessoas os Ets. precisariam replicar os seres humanos utilizando plantas. Santa inocência. Bastava entrar em suas mentes com um jogo de internet e estaria tudo dominado. Estou assustado com a imagem que eu vi.

    ResponderExcluir
  3. Rsrsrsrs

    Eu, outro dia, escrevi que Pokemon Go era um aplicativo para crianças e um monte de marmanjos (feitos zumbis, como você disse) reclamaram. Na ocasião eu escrevi: "Os adultos deveriam caçar pessoas que precisam de ajuda, como os que vivem nas ruas, precisando de roupas, comidas, e não monstrinhos de desenho animado". Quase fui linchado online. São adultos com comportamento de crianças.

    ResponderExcluir