segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Batman: A Piada Mortal

A famosa Graphic Novel escrita por Alan Moore finalmente foi adaptada para as telas, não com atores em carne e osso como foi especulado, mas sim nessa nova animação da DC / Warner que foi lançada recentemente nos EUA. Os roteiristas porém precisaram encaixar uma introdução (de mais ou menos 20 minutos) para dar uma maior duração ao filme. A razão é simples de explicar: a novel original só tinha 50 páginas, insuficiente para uma adaptação em longa-metragem. Assim criou-se essa pequena encheção de linguiça no começo que não acrescenta nada, mas que também não aborrece. Na verdade o enredo original de "A Piada Mortal" só começa mesmo quando o Batman vai até o asilo Arkham para um encontro com o Joker (Coringa). Chegando em sua cela descobre que o vilão não está lá, mas sim um sósia. Pior do que isso, o Coringa de volta às ruas vai atrás do comissário Gordon e sua filha Bárbara (a Batgirl) para vingar sua prisão.

Assim que os encontra atira primeiro na garota, à queima roupa, a deixando paralítica para sempre (sim, essa Graphic Novel não foi feita para crianças!). Depois leva Gordon para seu parque de diversões particular, um lugar sinistro, há muito desativado, com brinquedos quebrados, enferrujados e caindo aos pedaços. Sua intenção é torturar o velho policial para que ele enlouqueça literalmente... E é lá que o psicopata e Batman finalmente se enfrentam em um duelo mortal (ou quase isso!). Nem precisa dizer que de todas as recentes animações lançadas pela DC Comics em DVD essa foi a que maior causou repercussão entre os fãs do super-herói. Isso por causa do material que lhe deu origem. Alan Moore é um mito para os leitores de quadrinhos e qualquer lançamento que leve seu nome realmente chama muito a atenção.

Aqui temos uma prova de como ele realmente fez diferença. Em uma trama que poderia soar até banal, Moore construiu as origens do Coringa, o mostrando como um comediante fracassado, com esposa esperando filho para breve. Morando em um apartamento minúsculo ele começa a ver sua vida e seus sonhos ruírem. Desesperado em busca de dinheiro ele resolve participar de um golpe, um assalto a uma indústria química onde trabalhou no passado e tudo acaba dando errado. "Um dia ruim pode mudar sua vida para sempre!" - como ele bem resume a situação.

Eu confesso que gostei do resultado, embora tenha torcido o nariz para os vinte minutos iniciais (que como eu disse inexistem na Graphic Novel). Há um encontro (inclusive de teor sexual, imagine você!) entre Batman e Batgirl que me pareceu muito gratuito e fora de lugar. No mais, tirando esse deslize, a animação segue à risca o que Moore escreveu na década de 1980, com direito até mesmo a diálogos retirados diretamente da publicação original (palavra por palavra). Então é isso, no geral é uma boa dica - só não vá passar a animação para seu filho pequeno já que o material é violento, com teor adulto (há até um estupro envolvido) e não é recomendado para crianças com menos de 14 anos de idade.

Batman: A Piada Mortal (Batman: The Killing Joke, Estados Unidos, 2016) Direção: Sam Liu / Roteiro: Brian Azzarello, baseado nas obras de Alan Moore e Bob Kane / Elenco (vozes): Kevin Conroy, Mark Hamill, Tara Strong / Sinopse: O vilão Coringa (Mark Hamill) foge do asilo Arkham e parte para a vingança contra Batman, Batgirl e o Comissário Gordon, enquanto parte de sua trágica vida é recontada através de flashbacks.

Pablo Aluísio.

3 comentários:

  1. Avaliação:
    Direção: ★★★
    Elenco: ★★★
    Produção: ★★★
    Roteiro: ★★★
    Cotação Geral: ★★★
    Nota Geral: 7.9

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir