terça-feira, 24 de maio de 2016

Schindler's List

Quando "Schindler's List" chegou aos cinemas em 1993 a crítica de todo o mundo disse que Steven Spielberg tinha finalmente crescido e virado um adulto. Era uma metáfora pelo fato de que o diretor que havia se consagrado na carreira com filmes com muita fantasia e imaginação finalmente encarava um drama histórico com tema extremamente pesado. "Schindler's List" deixava o mundo de Peter Pan de lado, pois era real, dolorosamente real.

O roteiro era inspirado na história real do industrial alemão Oskar Schindler. No começo da Segunda Guerra Mundial ele havia usado de toda a sua influência no Partido Nazista para que fosse enviado o máximo de judeus em ritmo de trabalho escravo para trabalharem como mão de obra em sua fábrica. Com o tempo porém algo aconteceu e Schindler começou a pedir mais e mais mão de obra com a clara intenção de salvar todos aqueles judeus dos campos de concentração da Alemanha Nazista. E assim, fazendo listas e mais listas com o nome desses judeus ele salvou gerações de serem mortas pela política de extermínio final do III Reich. Durante anos a figura desse industrial foi controversa, havendo apoiadores e detratores. Spielberg optou por celebrar seus atos. O filme é dessa maneira uma celebração de sua memória. O que Spielberg louva e homenageia é e atitude do industrial em salvar as vidas humanas do povo judeu perseguido.

O diretor resolveu filmar em preto e branco como uma espécie de referência à época em que se passa a história. Apenas trouxe cores para um pequeno momento do filme envolvendo uma garotinha prestes a encarar o horror do holocausto. Nesse ponto acertou, assim como acertou no maravilhoso elenco.

Liam Neeson interpreta o industrial, Ben Kingsley o seu assistente judeu que o ajuda na elaboração da lista e finalmente Ralph Fiennes arrasa como o oficial alemão já enlouquecido pela loucura e insanidade da guerra e da morte de tantas pessoas, todas em ritmo industrial, sem humanidade, sem alma e sem perdão. "A Lista de Schindler" é certamente o mais relevante filme da carreira de Steven Spielberg. Um filme deveras humano de um momento em que faltou justamente humanidade para aquele regime completamente brutal. A mensagem que fica é perene e imortal: holocausto nunca mais!

Pablo Aluísio.

Um comentário:

  1. Avaliação:
    Direção: ★★★★
    Elenco: ★★★★
    Produção: ★★★
    Roteiro: ★★★★
    Cotação Geral: ★★★★
    Nota Geral: 8.8

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir