terça-feira, 1 de agosto de 2017

Z - A Cidade Perdida

Título no Brasil: Z - A Cidade Perdida
Título Original: The Lost City of Z
Ano de Produção: 2016
País: Estados Unidos
Estúdio: Amazon Studios
Direção: James Gray
Roteiro: James Gray, David Grann
Elenco: Charlie Hunnam, Robert Pattinson, Sienna Miller, Tom Holland, Angus Macfadyen, Edward Ashley

Sinopse:
O major Percy Fawcett (Charlie Hunnam) do exército inglês é enviado para uma missão na selva amazônica. Apesar dos inúmeros perigos envolvido nessa expedição ele acaba se encantando pela região. Mais do que isso, acaba encontrando cerâmica antiga, que supostamente teria pertencido a uma civilização antiga. Disposto a voltar ele acaba organizando uma nova expedição, dessa vez em busca da cidade perdida que ele passa a denominar de Z.

Comentários:
É um filme que se propõe a ser uma aventura ao velho estilo. A estória se passa nas primeiras décadas do século XX quando esse explorador chamado Percy Fawcett viajou pela primeira vez para a América do Sul. Sua expedição deveria delimitar com precisão a fronteira entre Brasil e Bolívia que havia se tornado uma questão internacional. O Reino Unido, agindo na posição de árbitro, deveria colocar um fim a essa crise diplomática. Uma vez na selva, Fawcett acabaria descobrindo resquícios e indícios da existência de uma civilização antiga. Ele dominou essa possibilidade de Z, a cidade perdida na floresta, e iria sair em sua busca até o fim de seus dias. Seria a tão falada cidade perdida que vinha sendo procurado desde a chegada dos primeiros colonizadores. Olhando-se sob um ponto de vista pragmático essa seria uma nova versão para a velha lenda de El Dorado, a cidade de ouro e prata, engolida pela selva. Claro que a possibilidade de se descobrir algo assim, a glória envolvida nisso, iria consumir Fawcett através dos anos, se tornando uma verdadeira obsessão pessoal. E como toda obsessão essa também iria terminar mal.

Esse filme é bom, principalmente pelo resgate histórico dessa era em que os europeus se lançaram em regiões inóspitas e inabitadas em busca de reinos lendários e perdidos. Havia uma certa inocência romântica envolvida nisso. A história mostrada no filme é real, baseada na história verídica desse explorador britânico nas selvas da América do Sul. Tudo muito interessante. A questão é que o corte final deixou a produção com uma duração excessiva. São duas horas e vinte minutos de metragem, o que vai cansar certos espectadores. Além disso o filme explora não uma, mas três expedições diferentes, realizadas em momentos diferentes da vida de Fawcett. Esse aspecto do enredo certamente quebra o ritmo de aventura que se tenta trazer ao filme em certos momentos. Mesmo assim, com essas eventuais falhas o filme ainda se sustenta e pode ser considerado um bom momento na carreira do ator Charlie Hunnam no cinema. Logo ele que vem colecionando problemas nessa transição da carreira, saindo das séries de TV para os filmes de cinema. Não tem sido fácil, ainda mais depois do fracasso comercial de "Rei Arthur". A boa notícia é saber que pelo menos aqui temos um roteiro mais pé no chão, contando uma história real, nada fantasiosa, mas igualmente interessante. Spoiler com informações históricas: Em 1952 o sertanista brasileiro Orlando Villas Bôas localizou os supostos restos mortais de Percy Fawcett. Conforme havia se suspeitado por anos ele havia sido realmente morto por nativos da tribo Kalapalo. Essa descoberta viria para colocar um fim no mistério da morte do explorador, que já durava décadas.

Pablo Aluísio.

Um comentário:

  1. Avaliação:
    Direção: ★★★
    Elenco: ★★★
    Produção: ★★★
    Roteiro: ★★★
    Cotação Geral: ★★★
    Nota Geral: 7.6

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir