domingo, 6 de agosto de 2017

Além das Palavras

O filme conta a história da poetisa americana Emily Dickinson (1830 - 1886). Ela viveu em uma época muito dura na história dos Estados Unidos, bem no momento em que eclodiu a guerra civil. Era também uma mulher com opiniões próprias sobre a vida. Ao contrário do que pregava a mentalidade da época, em que as mulheres deveriam se casar, ter filhos e se dedicar a um marido, Emily não tinha a menor intenção de seguir esse itinerário. Ao contrário disso ela se dedicou às letras, escrevendo poemas que ainda hoje são considerados verdadeiras obras primas da literatura. Também rompeu ao seu modo com o pensamento religioso puritano que imperava naqueles dias. Ela tinha uma visão mordaz e irônica da religião, mas de forma completamente contraditória acabou se apaixonando por um pastor casado! Era uma mulher de personalidade complexa.

Não é um filme indicado para todos os públicos pois tem seu próprio ritmo que, para alguns, vai soar excessivamente parado e lento. Para falar a verdade não existe nenhum momento absurdamente dramático em todo o filme, com o roteiro procurando, ao invés disso, investir em diálogos bem trabalhados, excessivamente detalhistas. É algo compreensível pois o público alvo desse tipo de produção é aquele mais intelectualizado que gosta de literatura e que acima de tudo admira a obra de Dickinson. Por essa razão em alguns momentos ficamos com a impressão de estarmos assistindo a um teatro filmado, pois as palavras que os atores declamam não parecem naturais, nem para aquela época, do século XIX. Por fim se sobressaem também os problemas que a poetisa teve que enfrentar em sua vida, inclusive um tipo de fobia social que a impedia de se relacionar normalmente com as pessoas que não faziam parte de seu círculo familiar mais íntimo. De modo em geral, apesar de ser uma obra cinematográfica densa, gostei do filme. É de certa maneira um bom convite para descobrir mais sobre essa escritora.

Além das Palavras (A Quiet Passion, Inglaterra, Bélgica, 2016) Direção: Terence Davies / Roteiro: Terence Davies / Elenco: Emma Bell, Sara Vertongen, Rose Williams / Sinopse: O filme conta a história da poetisa norte-americana Emily Dickinson, desde seus primeiros anos na escola, quando já se destaca por causa de sua personalidade única, até o fim de sua vida, quando precisou enfrentar inúmeros problemas de saúde, além dos preconceitos sociais da época que a estigmatizaram por ser uma mulher solteira e solitária, que se dedicava apenas aos seus escritos.

Pablo Aluísio.

6 comentários:

  1. Avaliação:
    Direção: ★★★★
    Elenco: ★★★★
    Produção: ★★★
    Roteiro: ★★★★
    Cotação Geral: ★★★★
    Nota Geral: 8.0

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir
  2. Pablo;

    Eu nem li o post mas já preciso lhe fazer um elogio. Você diz "O filme conta a história da poetisa americana Emily Dickinson". eu achei que eu era o único ser da terra que sabia que o feminino de poeta é poetisa. Hoje toda mulher insiste em ser chamada de poeta. O que está acontecendo com a nossa língua?

    ResponderExcluir
  3. O Brasil ainda não conseguiu sair de sua eterna crise de educação... e isso é um reflexo disso.

    ResponderExcluir
  4. Deve ser isso. A palavra embaixatriz é outra; todas são embaixadoras.

    ResponderExcluir
  5. Ah, e quanto ao poeta pra mulher, tem também o feminismo politicamente correto e estupido da esquerda.

    ResponderExcluir
  6. Sim, embora ela, a protagonista do filme, não seja bem uma feminista. Na época em que ela viveu esse movimento não tinha muita expressão.

    ResponderExcluir