terça-feira, 12 de julho de 2016

Jimmie Rodgers - Secretly

A primeira vez que esse single caiu em minhas mãos eu ainda era um jovem colegial bem interessado em materiais históricos do rock americano da virada dos anos 1950 para 1960. Havia uma garota no meu colégio que também curtia muito esse tipo de "arqueologia musical" e assim estávamos sempre trocando figurinhas e conhecimento sobre esse assunto entre as aulas, nos intervalos - e isso em uma época (anos 80) em que sequer existia a internet.

Eu já naquele tempo curtia muito o som melódico do Jimmie Rodgers. Sua geração era muito malhada pela crítica porque ele e todos os cantores que surgirem nesses anos suavizaram bastante o rock e por isso foram tachados de açucarados, cantores teens e coisas semelhantes.

É óbvio que esse tipo de pensamento também era um preconceito (um conceito criado antes de observar bem a música em si). Hoje em dia eu vejo toda essa geração do rock "sugar" americano de uma maneira bem mais amena, diria até simpática. Muitos deles foram chamados de "Mini-Elvis", porque naquela virada de década, dos 50´s para os 60´s, Elvis era apenas um recruta na Alemanha cumprindo seu serviço militar. Assim um vácuo foi aberto com sua saída dos Estados Unidos e muitos jovens com topetes vistosos procuraram seguir os passos do garoto de Memphis.

Paul Anka, Neil Sedaka, até Frankie Avalon, nadaram nessas mesmas ondas. O Rodgers é menos conhecido, o que é uma tremenda pena pois adoro seu rock mais sentimental, cheio de paixão e arranjos que são até hoje o suprassumo da sonoridade do fim dos anos 1950 e começo dos anos 1960. Essa canção "Secretaly" é seu maior sucesso no Brasil pois fez parte da trilha sonora internacional da novela "Estúpido Cupido", um grande sucesso de audiência da TV brasileira.

Aliás outro fato bem curioso é que Jimmie Rodgers cruzaria com Elvis nos estúdios da RCA Victor de Nashvillie, um encontro de duas gerações que se encontravam de forma inesperada. Segundo Priscilla o próprio Elvis tinha receios de ser trocado pela juventude justamente por ídolos mais jovens como Rodgers. Um velho trauma que ele carregou por anos. Mas enfim, essa é uma outra história... Por enquanto deixo aqui a dica de Jimmie Rodgers e seus amores adolescentes... Uma ótima nostalgia dos tempos em que os namoros eram bem mais inocentes e sentimentais, românticos e belos... uma era de ouro do romantismo ao estilo rocker americano.

Pablo Aluísio.

3 comentários:

  1. Avaliação:
    Produção: ★★★
    Arranjos: ★★★
    Letras: ★★★
    Direção de Arte: ★★★
    Cotação Geral: ★★★
    Nota Geral: 8.2

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir
  2. Eu assisti a pouco tempo a biografia dos The Beach Boys e parece que esse era um grupo desse período "Elvis no Exercito" que tinham muita, e reconhecida pela critica, qualidade artística, ao ponto de influenciar outros bons artista inclusive Beatles levando os a sua fase mais erudita: tudo isso graças ao fabuloso e esquizofrênico Brian Wilson, seu cantor-musico-compositor e líder.

    ResponderExcluir
  3. Esse filme do Beach Boys quero conferir em breve. Espero que seja bom. Pois é, essa geração de sugar rock tinha muitos talentos. Infelizmente a crítica (como sempre) rotulou muitos desses artistas, de forma injusta e boboca.

    ResponderExcluir