domingo, 7 de junho de 2015

Jimi - Tudo ao Meu Favor

Título no Brasil: Jimi - Tudo ao Meu Favor
Título Original: All Is by My Side
Ano de Produção: 2013
País: Estados Unidos, Inglaterra
Estúdio: Darko Entertainment, Freeman Film
Direção: John Ridley
Roteiro: John Ridley
Elenco: André Benjamin, Hayley Atwell, Imogen Poots
  
Sinopse:
O guitarrista Jimi Hendrix (Benjamin) é um jovem músico desconhecido que acaba sendo descoberto em um night club de Nova Iorque pela namorada de Keith Richards dos Rolling Stones. Ela vê potencial e muito talento naquele sujeito e resolve lhe apresentar a um amigo, que está em busca de novos talentos para empresariar. Após aceitar a proposta Jimi então decide ir para a Europa, em Londres, em busca de um novo recomeço, um futuro promissor para sua carreira musical. Filme indicado ao Independent Spirit Awards, Black Reel Awards e Stockholm Film Festival.

Comentários:
Esse filme não se propõe a ser uma cinebiografia completa e definitiva do mito do rock Jimi Hendrix (1942 - 1970). Ao invés disso investe suas fichas em um momento específico da vida daquele que é considerado por muitos como o melhor guitarrista da história. O Jimi que emerge de suas cenas é apenas um aspirante ao sucesso, um jovem negro muito talentoso que ainda não encontrara a grande oportunidade de sua vida. Em busca de novos horizontes e sem maiores esperanças de alcançar o sucesso em seu país natal, ele aceita o convite de ir para Londres, naquele momento a capital mundial do rock, um cenário efervescente de onde surgiam as bandas e artistas mais influentes do gênero. Seu objetivo era gravar seu primeiro disco. De quebra Jimi nutria esperanças de tocar ao lado de seus grandes ídolos, entre eles Eric Clapton, considerado o deus da guitarra na época. No geral "All Is by My Side" tem pontos positivos e negativos. Seu principal ponto a favor vem do trabalho do ator (e também músico) André Benjamin. Além de ser muito parecido fisicamente com Hendrix ele conseguiu trazer para o filme grande parte da personalidade do ator. Jimi, ao contrário do que sua imagem nos palcos poderia sugerir, a do roqueiro doidão e selvagem que colocava fogo em seu instrumento, era na verdade um sujeito bem tímido, caladão, na dele. Um jovem de poucas palavras e temperamento sutil, que procurava fugir de qualquer tipo de confronto pessoal, com quem quer que seja. Também evitava ter que ostentar bandeiras políticas e de protesto como era bem comum entre os artistas daqueles tempos. No fundo Jimi era apenas um boa praça que queria tocar sua guitarra numa boa, sem stress. André Benjamin também surpreende nas cenas de palco. Obviamente ele jamais tocaria como Hendrix, mas não faz feio e passa veracidade nos momentos em que faz sua guitarra tocar aquela sonoridade que se tornou imortal. Pessoalmente considerei isso um dos pontos fortes tanto do roteiro como da atuação de Benjamin. Muito boa, acima da média, sem retoques. Infelizmente nem tudo são flores. Entre seus pontos fracos podemos citar algumas omissões e incorreções biográficas que incomodaram muita gente que viveu com Jimi na mesma época em que o filme se passa. Kathy Etchingham, a musa de Hendrix naqueles anos, não gostou nada de certas passagens e reagiu publicamente contra uma cena em particular, em que a namorada de Jimi é agredida com um telefone de forma violenta. Ela foi taxativa ao afirmar que aquilo nunca aconteceu, sendo tudo invenção. Outros biógrafos do cantor também concordaram com ela. Por que aquela cena foi inserida no filme afinal? Talvez tenha sido uma forma do diretor e roteirista John Ridley (de "12 anos de Escravidão") de criar uma personalidade mais forte e marcante para Jimi, quem sabe. Provavelmente Ridley tenha achado a forma de ser de Jimi muito pacata para um rockstar! De qualquer maneira o filme vale por si mesmo, ainda que nem todas as passagens sejam verídicas do ponto de vista histórico. O que valeu a pena aqui foi mesmo a oportunidade de reencontrar esse grande mito da história do rock de uma forma bem mais humana e próxima. Não é o melhor dos mundos, mas certamente é um filme satisfatório para quem curte Hendrix e sua meteórica trajetória.

Pablo Aluísio e Júlio Abreu.


Um comentário:


  1. Avaliação:
    Direção: ★★★
    Elenco: ★★★★
    Produção: ★★★
    Roteiro: ★★★
    Cotação Geral: ★★★
    Nota Geral: 7.9

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir