terça-feira, 26 de junho de 2012

Napoleão - A Última Batalha do Imperador

Após ser derrotado no campo de batalha Napoleão Bonaparte (Philippe Torreton) é enviado ao seu exílio em uma ilha remota. Nesse local, mesmo aprisionado pelos britânicos, ele continua cultivando sua pompa real e seu séqüito de seguidores. Gostei bastante desse filme. A produção mostra os últimos momentos de vida do destronado imperador Napoleão Bonaparte. Exilado na ilha prisão de Santa Helena, Napoleão viveu seus últimos momentos cerceado de guardas ingleses, um governador britânico da ilha preocupado mais com sua morte do que com sua vida e um grupo de franceses que restou de sua antiga corte (no fundo um bando de abutres apenas interessados em sua herança). O filme é muito bem conduzido e conta com um elenco que mantém o interesse, apesar do ator que interpreta o imperador não ter muita semelhança física com ele.

A ruína de um homem que conquistou quase toda a Europa já é por si só um tema interessante. As questões humanas envolvidas já daria um bom filme mas o que mais me chamou a atenção aqui foi a sutil versão "alternativa" do que realmente teria acontecido com seu corpo após sua morte. Não vou estragar mas confesso que não conhecia essa tese histórica que é mostrada no filme. Claro que todo grande nome da história sempre gera inúmeras teorias da conspiração sobre seu destino após sua morte oficial (Isso também aconteceu com Hitler). Com Napoleão não seria diferente. Pode até ser que nada do que é mostrado no filme aconteceu, mas que é simplesmente muito curioso isso é sem dúvidas. Recomendo o filme para quem gosta de história e dos grandes nomes que passaram por ela.

Napoleão - A Ùltima Bataha do Imperador (Monsieur N, França, 2003) Direção: Antoine de Caunes / Roteiro: Pierre Kube / Elenco: Philippe Torreton, Richard E. Grant, Jay Rodan, Elsa Zylberstein, Stéphane Freiss / Sinopse: Após ser derrotado no campo de batalha Napoleão Bonaparte (Philippe Torreton) é enviado ao seu exílio em uma ilha remota. Nesse local, mesmo aprisionado pelos britânicos, ele continua cultivando sua pompa real e seu séqüito de seguidores.

Pablo Aluísio e Júlio Abreu.

12 comentários:

  1. Pensa ne um filme sem graça, é esse...

    ResponderExcluir
  2. É um bom filme..Gostei..minha prof de história passou ele

    ResponderExcluir
  3. não entendi muito, mas é bem interessante.

    ResponderExcluir
  4. Sei la intendi foi nada

    ResponderExcluir
  5. Comentários lamentáveis, excelente filme, traz a conspiração da morte de Napoleão à tona, e vale lembrar, QUASE NENHUM FILME REALMENTE CULTURAL é facil de assistir, se quer algo facil de assistir procura Hollywood

    ResponderExcluir
  6. Esse filme é muito embaralhado , não gostei muito!!!!!

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Pablo, antes de ontem eu assisti Napoleão - A Última Batalha do Imperador e na resenha acima você diz que até gostou da estória do filme mas que não sabia desta teoria conspiratória sobre a morte do Imperador. Eu te digo que o que se vê neste filme nunca se falou porque se trata de uma estória "inspirada" pra não dizer plagiada, de um conto de um escritor Francês chamdo Maurice LeBlanc. O conto é A Fuga de Arsene Lupin, do livro célebre O Ladrão de Casaca. Acredite, é tudo ígual, desde a conversas plantadas, a mudança física do prisioneiro, a troca com outro parecido e aí vai. Não é porque o original é dos primeiros anos do século 20 que se pode plagiar sem ser percebido, sempre tem alguém que sabe.

    ResponderExcluir
  9. Obrigado pela informação adicional Serge, abraços, Pablo Aluísio.

    ResponderExcluir