sábado, 3 de março de 2018

Mark Felt

Após a morte do todo poderoso diretor do FBI, J. Edgar Hoover, o Presidente Nixon resolve nomear para o cargo um homem de sua confiança, alguém para abafar todos os escândalos envolvendo o governo. Antigo braço direito de Hoover, o veterano agente Mark Felt (Liam Neeson) começa então a vazar para a imprensa informações confidenciais que comprometiam o Presidente. As coisas pioram ainda mais quando homens do Partido Republicano invadem a sede do comitê de campanha dos democratas no prédio Watergate. Imediatamente o novo diretor do FBI começa a abafar o caso, mas Mark usando o codinome de "Garganta Profunda" entrega o jogo para dois jornalistas do Washington Post, abrindo assim a maior crise do governo Nixon, algo que o levaria a renunciar ao cargo alguns meses depois, em vista dos crimes cometidos.

Bom filme sobre um dos mais famosos informantes da história. É interessante notar que essa nova produção pode ser assistida em conjunto com dois outros filmes, dando uma ideia geral do que aconteceu no caso Watergate. O primeiro indicado é "Todos os Homens do Presidente", o clássico com Robert Redford e Dustin Hoffman. Lá tínhamos esse mesmo evento que levou Nixon à renúncia, mostrando tudo sob o ponto de vista da imprensa. Recentemente tivemos também "The Post" com Tom Hanks e Meryl Streep. A última cena mostra a invasão do comitê democrata em Watergate, quase o ponto de partida desse filme aqui. Assim são filmes que se complementam. Outro ponto importante a frisar é que "Mark Felt" marca a volta de Liam Neeson aos filmes mais sérios, dramáticos, deixando de lado as produções de pura ação que ele vinha estrelando. Para viver o Garganta Profunda, Liam usou uma maquiagem que o deixou mais envelhecido e em certos aspectos até mesmo irreconhecível. Também está bem mais magro, tudo para se adequar ao papel. De modo em geral é um bom filme, porém será necessário ao espectador médio ter pelo menos noções mínimas de história americana, principalmente do caso Watergate, uma vez que o roteiro parte da premissa que o público já saiba de antemão tudo o que aconteceu. Com ritmo mais centrado, um pouco lento, diria em certos momentos até um pouco burocrático, esse novo filme do diretor Peter Landesman não deixa de ser também uma boa aula de história política.

Mark Felt - O Homem que Derrubou a Casa Branca (Mark Felt: The Man Who Brought Down the White House, Estados Unidos, 2017) Direção: Peter Landesman / Roteiro: Peter Landesman, baseado no livro de memórias escrito por Mark Felt / Elenco: Liam Neeson, Diane Lane, Marton Csokas, Tom Sizemore, Bruce Greenwood, Michael C. Hall / Sinopse: Após a morte do diretor do FBI J. Edgar Hoover, o Presidente Nixon nomeia um novo diretor que começa a abafar os crimes e desvios do governo. Em vista disso o agente veterano Mark Felt (Neeson) começa a vazar informações confidenciais para a imprensa, com o objetivo de desmascarar a corrupção que existe dentro do governo Nixon.

Pablo Aluísio.

3 comentários:

  1. Avaliação:
    Direção: ★★★
    Elenco: ★★★
    Produção: ★★★
    Roteiro: ★★★
    Cotação Geral: ★★★
    Nota Geral: 7.6

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir
  2. Já a algum tempo não tinhamos um filme desse tipo, ainda por cima, com o Lian Nielson e, principalmente, com minha musa Diane Lane; promete.

    Comment: Chaplin

    ResponderExcluir
  3. A Lane interpreta a esposa do "Gargante Profunda". Não tem muito espaço no roteiro, mas ainda assim aparece em boas cenas.

    ResponderExcluir