sábado, 11 de março de 2017

Moonlight: Sob a Luz do Luar

Como não poderia deixar de ser, procurei assistir a esse "Moonlight: Sob a Luz do Luar" que se tornou o grande vencedor do Oscar 2017, levando para casa o prêmio de Melhor Filme do ano! Melhor filme do ano?! Olha, assisti muitos filmes nesse ano que passou e posso dizer, sem medo de ser injusto, que há dezenas de filmes bem melhores do que esse! Nem entre os concorrentes ao Oscar (nove ao total) "Moonlight" consegue se sobressair. Vou além, é um filme bem comum, com estrutura de roteiro bem banal, rotineiro, sem nada de excepcional.

O filme conta a história de um jovem negro, desde sua infância, até sua vida adulta. Quando era apenas uma criança ele teve que lidar com uma realidade difícil. A mãe era viciada em crack, geralmente recebendo homens em sua própria casa para se prostituir, um verdadeiro caos familiar. Na escola a realidade também era a pior possível. Franzino, tímido e frágil, ele logo passou a ser alvo de bullying dos demais alunos. Para piorar ainda mais o jovem Chiron também era homossexual, o que lhe colocava numa situação até mesmo perigosa. O único que parecia se importar com ele era um traficante da região, Juan (Mahershala Ali), que paradoxalmente era um dos fornecedores de sua mãe viciada.

Eu explico a consagração desse filme nesse ano não baseado em méritos cinematográficos. Isso aconteceu porque no ano anterior não houve nenhum candidato ao Oscar que fosse negro. Assim a Academia fez uma média, trazendo todos os filmes sobre minorias que encontrou pela frente. "Moonlight" dessa maneira se tornou vencedor muito na base desse tipo de politicagem, dessa tentativa de soar o mais politicamente correto possível. É cansativo ter que lidar com isso. Na verdade o filme venceu o Oscar por fatores externos à obra em si. Olhando-se apenas para "Moonlight" pelo que ele apresenta, repito, você não verá nada de excepcional ou brilhante. 

Sigo afirmando que o melhor filme, dentre os concorrentes, ainda é, em minha opinião, "Um Limite Entre Nós" com Denzel Washington, só que a Academia não iria premiar o ator pois ele já havia sido premiado antes. Pois é, Denzel, apesar de ser negro e extremamente talentoso, já era bem sucedido demais para a Academia. Aqui o importante era mesmo premiar o vitimismo. Diante de tudo isso o meu veredito é bem simples: "Moonlight: Sob a Luz do Luar" é um bom filme, tem boas interpretações e alguns bons momentos, mas ele definitivamente não foi o melhor filme de 2016. Nem passou perto disso.  No fundo é apenas mais uma bandeira do politicamente correto e nada mais.

Moonlight: Sob a Luz do Luar (Moonlight, Estados Unidos, 2016) Direção: Barry Jenkins / Roteiro: Barry Jenkins, Tarell Alvin McCraney/ Elenco: Mahershala Ali, Ashton Sanders, Janelle Monáe, Naomie Harris / Sinopse: O filme conta a história de um jovem negro, da infância até a fase adulta, quando se torna um traficante de drogas que reencontra uma velha paixão do passado. Filme vencedor do Oscar nas categorias de Melhor Filme, Melhor Ator Coadjuvante (Mahershala Ali) e Melhor Roteiro Adaptado. Também vencedor do Globo de Ouro na categoria de Melhor Filme - Drama.

Pablo Aluísio.

4 comentários:

  1. Avaliação:
    Direção: ★★★
    Elenco: ★★★
    Produção: ★★★
    Roteiro: ★★★
    Cotação Geral: ★★★
    Nota Geral: 7.2

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir
  2. O politicamente correto no modo "cotas". Coisa triste e irritante.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir