quinta-feira, 20 de julho de 2017

O Planeta dos Macacos

Título no Brasil: O Planeta dos Macacos
Título Original: Planet of the Apes
Ano de Produção: 2001
País: Estados Unidos
Estúdio: Twentieth Century Fox
Direção: Tim Burton
Roteiro: Pierre Boulle, William Broyles Jr
Elenco: Mark Wahlberg, Helena Bonham Carter, Tim Roth, Michael Clarke Duncan, Paul Giamatti, Kris Kristofferson

Sinopse:
Depois de um incidente com sua missão espacial o capitão Leo Davidson (Mark Wahlberg) chega em um estranho planeta, onde os macacos falam e são mais desenvolvidos do que os seres humanos, tratados como verdadeiros animais irracionais e primitivos. Filme indicado ao BAFTA Awards nas categorias de Melhor Figurino (Colleen Atwood) e Melhor Maquiagem (Rick Baker, Toni G e Kazuhiro Tsuji).

Comentários:
Muita gente não gostou desse remake de Tim Burton. Eu vou contra a corrente. Desde a primeira vez que assisti gostei desse novo "Planet of the Apes". Claro, não vou comparar com o clássico de 1968, pois esse continua imbatível (sendo melhor até do que os filmes mais recentes). Dito isso devo dizer que Tim Burton realmente fez um bom trabalho nessa produção de 2001. O filme, como era de se esperar em qualquer obra assinada por Burton, tem um design de produção excelente, uma fantástica direção de arte. Claro que muitos reclamaram de partes do roteiro, como na tão falada cena final com a estátua de Lincoln como macaco, mas o que isso no final realmente importa? É um clímax aberto a todos os tipos de interpretações e isso é algo positivo e não negativo. Filmes com finais fechadinhos demais são cansativos. Deixar a porta aberta pode trazer debates interessantes, visões diferentes, etc. A arte serve justamente para esse tipo de coisa. No mais é um filme que vale a pena ter na coleção. Há cenas realmente excelentes, como a que inspirou o próprio poster original. Até mesmo Mark Wahlberg está bem e olha que na época ele era bem mais limitado do que hoje em dia. Além disso o elenco de apoio é mais do que bacana, contando com o ótimo Paul Giamatti, o gigante simpático Michael Clarke Duncan e até o cantor country travestido de ator Kris Kristofferson. Em suma, gostei na época que chegou aos cinemas e continuo gostando hoje em dia. Esse pode ser considerado sem favor nenhum um dos bons filmes do controverso Tim Burton. Sua visão dark combinou muito bem com o universo criado por Pierre Boulle.

Pablo Aluísio.

4 comentários:

  1. Avaliação:
    Direção: ★★★
    Elenco: ★★★★
    Produção: ★★★★
    Roteiro: ★★★
    Cotação Geral: ★★★
    Nota Geral: 7.8

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir
  2. Esse filme realmente é bom. O que acontece é que o filme de 1968 tinha tudo a seu favor. Antes de mais nada, a originalidade do tema; a produção fabulosa e ainda por cima com as, na época, moderníssimas máscaras de borracha dos macacos; um dos atores mais carismáticos do mundo, o Charlton Heston; um final tão fantástico, que nunca só foi igualado em surpresa, se foi, 31 anos depois com o também genial, O Sexto Sentido; e o clima apocalíptico, que em plena guerra fria se assimilava a uma premonição.
    Comparando com isso, nada nunca será bom o suficiente.

    ResponderExcluir
  3. Charlton Heston é o nome. Quando ele fez "O Planeta dos Macacos" todo mundo já estava chamando ele de decadente, etc. Afinal o que fazer de grandioso depois de "Ben-Hur" e os "Dez Mandamentos". Clássicos absolutos. Depois disso só a queda mesmo. Mas, assim como Elvis, ele se reinventou em 1968 e surgiu com esse clássico da ficção. Mitos são assim. Quando todos pensam que estão mortos eles ressurgem das cinzas.

    ResponderExcluir
  4. Realmente, a fênix em pessoa. E que presença, que dignidade, sempre.
    Eu fiquei muito puto quando aquele diretor comunista, o Michael Moore, fez aquela sacanagem com ele, ainda mais depois dele ter sido tão gentil ao recebe-lo em sua casa.

    ResponderExcluir