segunda-feira, 15 de setembro de 2014

O Atirador - Legado

Título no Brasil: O Atirador - Legado
Título Original: Sniper - Legacy
Ano de Produção: 2014
País: Estados Unidos
Estúdio: Sony Pictures
Direção: Don Michael Paul
Roteiro: John Fasano
Elenco: Asen Asenov, Tom Berenger, Chad Michael Collins

Sinopse:
Vários oficiais de uma antiga operação militar denominada "Sentinela" (realizada no Afeganistão durante a intervenção americana naquele país) começam a ser assassinados por um misterioso atirador de elite. Os Marines então enviam um grupo especial de snipers para localizar e matar o assassino. Enquanto isso o jovem Brandon Beckett (Chad Michael Collins) resolve desobedecer ordens diretas de seus superiores para ir também atrás do atirador que matou seu pai, o lendário Thomas Beckett (Tom Berenger). A caçada vai começar.

Comentários:
Mais uma sequência tardia de uma antiga franquia de ação. O primeiro filme foi realizado em 1993 e no Brasil recebeu o título de "Sniper, O Atirador". Depois em 2002 veio sua continuação "O Atirador 2", sendo seguida em 2004 por "O Atirador 3". Dez anos depois temos esse quarto filme. Tom Berenger, já bastante envelhecido, retorna no papel do militar Thomas Beckett, considerado o melhor atirador de elite da história dos fuzileiros navais americanos. Aqui para tentar abrir uma possibilidade de novas sequências futuras, seu bastão é passado para seu próprio filho, Brandon (interpretado por Chad Michael Collins, um jovem ator de séries de TV, como por exemplo "CSI: Investigação Criminal" e "Blue Bloods"). O tema do roteiro é obviamente batido e não traz maiores surpresas, mas o filme é bem realizado (produzido pela Sony, não poderia ser diferente) e conta com boas cenas de ação, principalmente naquelas que envolvem tocaias e execuções pelos snipers, tanto no Afeganistão como na Síria, onde parte do enredo se passa. Para quem assistiu aos filmes anteriores se torna uma boa pedida, uma opção válida de diversão em uma tarde entediada de domingo. Vale a pena arriscar e assistir ao filme.

Pablo Aluísio e Júlio Abreu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário