sábado, 25 de fevereiro de 2017

Cinema: Estreias da Semana (23/02 a 02/03)

Semana de carnaval. Como sempre acontece todos os anos os exibidores no Brasil guardam seus melhores lançamentos nessa época, procurando segurar seus melhores filmes. Isso não quer dizer que não haja novidades no cinema e aqui vão algumas dicas para quem não curte a folia. O maior lançamento da semana é "A Grande Muralha", filme épico estrelado pelo ator Matt Damon. Como se pode perceber é um filme de aventura passado na época da construção da grande muralha da China. O filme contou com dinheiro do governo chinês, então o espectador não encontrará nada que sirva de crítica contra aquele regime socialista, o que não deixa de ser uma ironia já que o ator Matt Damon passou todo o lançamento do filme reclamando da truculência do governo Trump, mas não ousou criticar Pequim e seus dirigentes ditatoriais. Acabou sendo acusado, com certa razão, de ser um hipócrita por isso.

Já Ben Affleck surge nas telas com seu novo filme "A Lei da Noite". Dentre os lançamentos da semana esse é o que estou mais ansioso para assistir. O filme se passa durante a vigência da lei seca e como sabemos essa foi a época de ouro dos gângsters. Pois é, Affleck arrisca adotando um tipo de gênero cinematográfico que está há muito tempo fora das telas, do circuito comercial.  De minha parte acho tudo muito bem-vindo, até porque sempre gostei de filmes assim, com bandidos dos tempos de Al Capone. De maneira em geral o filme tem sido elogiado pela luxuosa produção, mas também criticado por não ter um bom roteiro. Vamos conferir para ver quem tem ou não razão.

Outra boa estreia é "Moonlight: Sob a Luz do Luar", um dos concorrentes ao Oscar. O filme é sobre um jovem americano negro que acaba trilhando o caminho do crime por não ter uma boa estrutura familiar. Na ausência dos pais, os traficantes do bairro onde mora acabam o adotando. Ainda não assisti ao filme, pretendo em breve, mas fica o receio de ser mais um daqueles roteiros politicamente corretos que acusam a sociedade pelos atos criminosos do protagonista, o isentando de qualquer culpa, um tipo de maniqueísmo até perigoso. Vamos ver o que nos aguarda.

Além dessas três produções, que precisam ser conferidas, o circuito ainda disponibiliza outras opções de filmes menores. Para quem gosta de cinema nacional e Youtube está chegando nas telas "Internet - O filme" com um elenco composto de youtubers brasileiros famosos. Deve ser uma droga teen, como o filme da Kefera, mas certamente encontrará seu público. Para quem procura por algo mais culturamente relevante seguem duas dicas: o filme sueco "A Jovem Rainha" e o francês "A Garota Desconhecida", duas boas opções para quem aprecia o cinema europeu.

Pablo Aluísio.

2 comentários:

  1. Pablo, como sempre você foi muito elegante, polido e educado denominando o que existe na China de regime socialista. O que existe na China verdadeiramente é um regime comunista, despótico, escravagista. Esse Matt Damon não passa de um palhaço destes assassinos vagabundos. Ele já havia feito a mesma coisa no filme do outro assassino terrorista, o Sul Africano Nelson Mandela no filme Invictus. Esses atorzinhos de Hollywood de hoje parece que são débeis mentais. Saudades do John Wayne e Charlton Heston, homens de verdade, não essas bichas comunistas de boutique. Me desculpe o destempero, mas paciência tem limites.

    Em tempo: eu li a biografia do Donald Trump a muitos anos e eu mais no que ninguém sei que ele é um bobo, um idiota, mas é justamente deste idiota que os EUA precisam no momento pra combater essa filosofia comunista fascista ordinária que tenta a todo custo se instalar na maior democracia do mundo, antes que seja tarde demais.

    ResponderExcluir
  2. Essas estrelas de Hollywood andam exagerando. Na China não existe liberdade de expressão, de opinião política e a censura estatal é absoluta! Sobre isso Matt Damon não deu um pio. Mas em relação a Trump parecia que ele estava falando do regime nazista. Um absurdo. O mundo ocidental é democrático. Estão errando o alvo ou agindo de má fé, pura e simplesmente.

    ResponderExcluir