domingo, 3 de julho de 2016

The Conjuring 2

Já havia gostado bastante do primeiro filme "Invocação do Mal". Agora gostei ainda mais dessa sequência. Como se sabe os roteiros dessa franquia "The Conjuring" são baseados nas histórias do casal Warren que durante os anos 1960 e 1970 pesquisaram casos paranormais nos Estados Unidos e Europa. O que poucos sabiam na época é que o casal tinha um acordo não oficial com a Igreja Católica que muitas vezes os enviavam para averiguar algum caso misterioso, tudo com o objetivo de saber de antemão se o caso tinha alguma veracidade ou era simplesmente uma fraude. Uma maneira de preservar a instituição da Igreja de situações exploradas pela imprensa que no fundo não passavam de picaretagem.

Pois bem, Ed e Lorraine Warren participaram de muitos casos, alguns bem notórios como as assombrações em Amityville (que inclusive é mostrado no começo desse filme). Um dos casos mais curiosos envolvendo o casal aconteceu na Inglaterra quando uma família começou a ser supostamente assombrada pela alma torturada de um senhor idoso que parecia fazer de tudo para expulsar os moradores de sua antiga casa. O problema é que Lorraine parecia ter ficado com um "encosto" após Amityville, uma entidade demoníaca que surgia a ela na forma e imagem de uma monstruosa freira (uma maneira de blasfemar símbolos religiosos católicos). Quando ela foi para a Inglaterra as duas atividades paranormais acabaram se fundindo, criando algo realmente fora do comum.

Claro que os casos reais foram menos espetaculares do que vemos nos filmes. Aí entra o elemento dramático e cinematográfico de cada caso sobrenatural, mas mesmo assim as premissas básicas dos acontecimentos foram mantidos pelos roteiristas. No primeiro filme, por exemplo, o casal Warren investigava fenômenos paranormais numa velha casa do sul, onde no passado tinha acontecido casos terríveis envolvendo a odiosa instituição da escravidão negra. Naquele primeiro caso não havia apenas um espírito atormentado, mas sim uma coletividade deles. Já naquela primeira produção havia gostado de tudo, da forma como o diretor James Wan havia conduzida seu enredo. Agora ele acertou de novo - e em minha opinião de forma ainda mais acertada.

O casal Warren segue sendo motivo de controvérsias dentro e fora dos Estados Unidos. A Igreja Católica nunca assumiu de forma oficial sua associação com eles (muito embora os vários exorcismos praticados por membros da Igreja provem o contrário) e não faltam acusadores contra eles, principalmente de grupos céticos que nunca acreditaram na existência de um mundo sobrenatural. Ed Warren faleceu ainda jovem, mas Lorraine ainda vive em sua casa, onde mantém até mesmo um museu de artefatos coletados nos vários casos de que participaram (a boneca Annabelle inclusive faz parte dessa coleção e está em exposição nesse lugar). Convenhamos que é no mínimo tudo muito curioso para simplesmente se ignorar.

Invocação do Mal 2 (EUA, 2016)
The Conjuring 2
Direção: James Wan
Roteiro: Carey Hayes, Chad Hayes
Elenco: Vera Farmiga, Patrick Wilson, Madison Wolfe

Pablo Aluísio.

4 comentários:

  1. Pablo, acabei de assistir Era Uma Vez do Oeste e descobri que a tão propalada genialidade do Tarantino está em mimetizar o Sergio Leone, principalmente no ritmo lento das falas e das cenas.

    Era Uma Vez no Oeste é muito bom, mas tem que ter paciência.

    ResponderExcluir
  2. No passado havia outra escola de direção e edição. Hoje em dia filmes como esse e principalmente "A Filha de Ryan", clássico com mais de 3 horas de duração, bem cadenciado, etc, não seria mais produzido.

    ResponderExcluir
  3. O Tarantino ainda tenta, disfarçando com violência extrema e humor negro.

    ResponderExcluir