sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Guia de Episódios - Fargo / Better Call Saul

Fargo 1.01 - The Crocodile's Dilemma
Depois que "Hannibal" e "Bates Motel" tiveram êxito na TV americana era de se esperar que outros filmes fossem adaptados para o mundo das séries. Assim, seguindo esses passos, surge esse "Fargo". Provavelmente você seja jovem demais ou então simplesmente nunca tenha assistido a "Fargo", filme lançado em 1996, com direção de Joel Coen. O filme foi bastante elogiado na época de seu lançamento. Acontece que a história real que deu origem ao roteiro da produção original era tão instigante que era questão de tempo para que virasse uma série. No fundo o enredo envolvendo diversas mortes numa cidadezinha gelada e sem importância de Minnesota revela na verdade a mediocridade da vida cotidiana de certas pessoas. O personagem Lester Nygaard (Martin Freeman) é o símbolo disso. Ele foi vítima de bullying nos tempos de escola e por pura infelicidade reencontra o valentão que o agredia naqueles tempos. O sujeito se acha no direito de voltar a ofendê-lo, bem no meio da rua, na frente de seus filhos. Para piorar a vida de Lester não é ruim apenas fora de casa, mas dentro também. Ele é casado com uma víbora, uma mulher que lhe humilha e lhe rebaixa sempre que pode. Um casamento sem amor, um verdadeiro inferno. A vida de Lester porém muda quando ele encontra por acaso a figura de Lorne Malvo (Billy Bob Thornton), um assassino profissional. O resto é história, aliás história mesmo, pois tudo foi baseado em fatos reais! Com mais de uma hora de duração esse episódio piloto já deixa claro que a série é realmente muito boa, ideal para acompanhar daqui em diante. Realmente Classe A. / Fargo 1.01 - The Crocodile's Dilemma (EUA, 2014) Direção: Adam Bernstein / Roteiro: Noah Hawley / Elenco: Billy Bob Thornton, Allison Tolman, Colin Hanks.

Fargo 1.02 - The Rooster Prince
Esse episódio toca em uma questão que é bem comum, inclusive no Brasil. Em cidades pequenas do interior a rede de amizades e relações sociais que existem entre as pessoas geralmente acabam prejudicando investigações policiais e mais além, até mesmo julgamentos são comprometidos por esse tipo de situação. Não é à toa que o tribunal do júri geralmente acaba fracassando no Brasil em cidadezinhas pelo interior afora. Mas voltemos a Fargo. Após as diversas mortes do primeiro episódio a polícia local continua a dar voltas sem ir a lugar nenhum. O xerife Bill Oswalt (Bob Odenkirk) foi amigo de escola de Lester Nygaard (Martin Freeman) e por isso se recusa a acreditar na tese de sua colega de farda, que insiste em dizer que Lester tem muito provavelmente algo a ver com os crimes. Para Bill isso seria uma bobagem, já que Lester sempre foi um garoto tímido, frágil, que jamais faria mal a alguém (e ele, para surpresa de todos, fez ao matar sua própria esposa com um martelo no porão de sua casa!). O ator Bob Odenkirk aliás é o mesmo que interpretou o advogado picareta Saul Goodman na série de grande sucesso "Breaking Bad". Ver ele aqui, com outra caracterização completamente diferente, interpretando um xerife bronco e caipira não deixa de ser uma das maiores diversões de acompanhar essa nova série. Tenho gostado muito dessa versão televisiva de "Fargo". O formato de muitos episódios proporciona um melhor desenvolvimento de todos os personagens, algo que não aconteceu no filme por motivos óbvios. / Fargo 1.02 - The Rooster Prince (EUA, 2014) Direção: Adam Bernstein / Roteiro: Noah Hawley, Noah Hawley / Elenco: Billy Bob Thornton, Allison Tolman, Colin Hanks, Bob Odenkirk, Martin Freeman.
 
Fargo 1.03 - A Muddy Road
O maior problema para a oficial Molly Solverson (Allison Tolman) é que seus superiores são um bando de matutos, sem qualquer experiência ou faro investigativo. Desde o começo ela soube que havia uma ligação entre Lester Nygaard (Martin Freeman) e um estranho suspeito que chegou na cidade para aterrorizar determinadas pessoas. Ele é um assassino profissional, um criminoso de ofício, que foi contratado por um rico empresário para descobrir quem o estaria chantageando. Como não existe ética entre bandidos o próprio Lorne Malvo (Billy Bob Thornton) resolve assumir a chantagem, ou seja, contratado para acabar com o crime ele próprio se apoderou dele, tencionando com isso faturar uma bolada. E ele não parece muito preocupado em se esconder. Indo atrás de um devedor de apostas ele literalmente o arranca do escritório, o levando pela gravata para "passear" em seu carro. Obviamente a intenção é dar um susto no tal sujeito, mas as coisas não saem como esperado e o pobre homem sai correndo no meio da nevasca (detalhe, completamente sem roupas, o que lhe trará morte certa em poucos minutos). Para Malvo isso pouco importa, afinal de contas ele tem coisas mais importantes (e lucrativas) para se importar. Mais um bom episódio dessa série que vem para complementar o que vimos no cult dos irmãos Coen. Há mais tempo para desenvolver os personagens e a trama, o que torna tudo ainda mais bem-vindo. Ótima diversão. / Fargo 1.03 - A Muddy Road (EUA, 2014) Direção: Randall Einhorn / Roteiro: Noah Hawley / Elenco: Billy Bob Thornton, Allison Tolman, Colin Hanks.


Better Call Saul 1.01 - Uno
Bom, se você acompanhou a maravilhosa série "Breaking Bad" já sabe muito bem quem é Saul Goodman (Bob Odenkirk). Ele é aquele advogado completamente picareta que vivia de dar cobertura para Walter White e Jesse Pinkman. Certamente era um dos mais divertidos coadjuvantes dessa série que realmente marcou época. A partir daí era de se esperar que algum spin off aparecesse no horizonte. Assim os produtores aprovaram a ideia do criador e roteirista Vince Gilligan em focar apenas nele nesse novo seriado. O episódio tem duas linhas narrativas. Uma no presente, com Saul de bigode, trabalhando em uma lanchonete de Shopping Center. Claro que depois de tudo o que ele aprontou era mesmo previsível que ele tentasse se esconder atrás de um disfarce pelo resto de sua vida. Sua vida passa longe da adrenalina do passado. Após cumprir seu expediente tedioso tudo o que lhe resta é voltar para casa, solitário e deprimido. Para relembrar um pouco de seus tempos de advogado ele resolve rever em uma velha fita vhs as propagandas de TV que estrelava, onde sempre usava o bordão "Better Call Saul". A partir desse ponto o episódio dá um longo flashback, mostrando acontecimentos em sua vida, anteriores inclusive ao que acompanhamos em "Breaking Bad". O episódio piloto fez grande sucesso de audiência na TV americana, mas lamento dizer que me deixou um pouco decepcionado. Menos divertido e cômico do que era de se esperar a série precisa se soltar mais, criando situações realmente engraçadas, já que Saul sempre foi um alívio de humor na série que lhe deu origem. Do jeito que está ficou sombrio e melancólico além da conta. Espero que daqui para frente acertem o tom de uma vez. / Better Call Saul 1.01 - Uno (EUA, 2015) Direção: Vince Gilligan / Roteiro: Vince Gilligan, Peter Gould / Elenco: Bob Odenkirk, Jonathan Banks, Rhea Seehorn.

Better Call Saul 1.02 - Mijo
Esse segundo episódio foi bem melhor do que o primeiro. Na verdade os roteiristas encontraram o tom certo, mostrando e investindo muito mais no bom humor, que sempre foi o símbolo do personagem em "Breaking Bad". Nesse aqui Saul paga por suas picaretagens. Após se unir a dois skatistas sem noção, ele vê seu plano de arrancar dinheiro de uma pobre velhinha ir por água abaixo. Isso porque a velha senhora tem um neto que não vai deixar isso barato. O sujeito mais parece ter saído de uma gangue de traficantes mexicanos. Com cara de poucos amigos, ele resolve colocar Saul e seus comparsas em seus devidos lugares. Após render o trio de picaretas, ele então  leva todos para o deserto do Novo México - praticamente uma sentença de morte para quem conhece aquela região hostil! Lá ocorre a melhor cena do episódio. Saul, tal como se estivesse numa audiência de conciliação judicial, começa a barganhar com o criminoso, tentando convencer que não se mate os jovens, pois eles possuem uma mãe doente (o que é uma tremenda lorota) e que apenas lhes sejam aplicados uma lição, do tipo "quebrar suas pernas". Impecável realmente e muito divertido. O desfecho também é muito engraçado. Para os fãs de "Breaking Bad" vale a pena prestar atenção pois vários personagens da série original vão aparecendo em pequenas aparições, tão rápidas que merecem mesmo atenção dobrada! O caminho é esse, espero que continuem por essa linha daqui em diante. / Better Call Saul 1.02 - Mijo (EUA, 2015) Direção: Michelle MacLaren / Roteiro: Vince Gilligan, Peter Gould / Elenco: Bob Odenkirk, Jonathan Banks, Rhea Seehorn.

Better Call Saul 1.03 - Nacho
As aparências enganam. Quando uma família inteira desaparece de sua casa, sem deixar rastros, todos começam a desconfiar que Jimmy McGill (Bob Odenkirk), ou melhor dizendo Saul, estaria envolvido com o que supostamente seria um sequestro! Seria mesmo? Afinal de contas ninguém colocaria a mão no fogo por esse advogado especializado não em direito civil ou penal, mas sim em trambiques e fraudes de todos os tipos! Assim Saul resolve ir por conta própria atrás dessa família que parecia um modelo de honestidade e bondade, a típica família suburbana norte-americana, com tudo o que isso significa. Mesmo com terno, maleta e tudo, ele assim resolve encarar o desafio de sair pelo meio do deserto em busca deles! Aos poucos a realidade vai surgindo, mostrando que as primeiras deduções estavam completamente erradas. De todos os episódios dessa nova série "Better Call Saul" esse foi um dos mais divertidos, recuperando em parte o bom humor que caracterizava esse personagem na série "Breaking Bad". Pessoalmente acredito que esse programa não irá muito longe, provavelmente consiga duas ou até mesmo três temporadas pela frente (e isso sendo bem otimista). A questão é que Saul se encaixava muito bem na série original, mas aqui, de forma solo, falta um pouco mais de conteúdo para manter a atenção do espectador por um longo período. Vamos ver até onde "Better Call Saul" consegue ir. / Better Call Saul 1.03 - Nacho (EUA, 2015) Direção: Terry McDonough / Roteiro: Vince Gilligan, Peter Gould / Elenco: Bob Odenkirk, Jonathan Banks, Rhea Seehorn.

Better Call Saul 1.04 - Hero
Nesse episódio Jimmy McGill (Bob Odenkirk), ou melhor dizendo Saul, recebe pela primeira vez suborno - e fica com a consciência pesada por isso, quem diria... Pois é, em começo de carreira ele tenta levantar a bola de seu escritório situado nos fundo de um salão de beleza. O dinheiro é oferecido pela mesma família que a polícia pensa estar sequestrada, mas que na verdade se mandou para fugir com uma bolada de um golpe financeiro. Assim Saul acaba embolsando a grana e nem pensa duas vezes, compra um terno novo, roupas elegantes e contrata um imenso outdoor em uma avenida com suas já conhecidas propagandas picaretas (que iriam ficar famosas em "Breaking Bad"). Como se tudo isso não fosse o bastante ainda usa a logomarca de um escritório conhecido da cidade, tudo com o objetivo de angariar clientes de forma nada ética! Afinal de contas se não fosse jogar sujo ele não seria o velho Saul que conhecemos. Depois de ser processado administrativamente ele é condenado a retirar a propaganda enganosa, não sem antes fazer um grande teatro, como se estivesse sendo perseguido por ricos e poderosos e toda essa situação absurda acaba ocasionando um evento que acredite o vai transformar em um herói na mídia por 15 minutos (afinal todos terão seus quinze minutos de fama um dia)! Quinto episódio da temporada dessa nova série que sinceramente ainda não conseguiu me convencer muito. Sigo acompanhando mais ou menos no controle remoto. Embora seja fã de "Breaking Bad" esse Spin-off ainda não empolgou. Só o tempo dirá quando tempo ainda irei acompanhar. Por enquanto só tem servido mesmo para nos deixar com saudades de Walter White e cia. / Better Call Saul 1.05 - Hero (EUA, 2015) Direção: Colin Bucksey / Roteiro: Vince Gilligan, Peter Gould / Elenco: Bob Odenkirk, Jonathan Banks, Rhea Seehorn.
 
Better Call Saul 1.05 - Alpine Shepherd Boy
O episódio do outdoor trouxe finalmente a publicidade que Saul precisava. O problema é que os clientes que vão surgindo são os piores possíveis. Um rico e ignorante fazendeiro do Texas quer que seu rancho vire um país independente dos Estados Unidos, tal como se fosse um Vaticano americano. O outro coloca uma babá eletrônica na privada e pensa que se trata de uma nova invenção maravilhosa! Enfim, só pessoas sem noção, algumas completamente loucas. Ser advogado freelancer definitivamente não é fácil para Saul. Para piorar o seu irmão é levado sob custódia sob a acusação de ter roubado o jornal da vizinha! Como se sabe Chuck tem problemas em sair de casa (não se sabe se é um tipo de loucura ou uma condição real). Ele diz ter hiper sensibilidade à eletricidade o que o faz viver isolado em uma casa escura e sem nenhuma luz ou aparelho elétrico. Envolto em uma malha de alumínio ele tem ataques e convulsões se exposto a qualquer tipo de eletricidade. Mesmo uma lâmpada comum o deixa em pânico. Levado a um hospital após sofrer um colapso Saul precisa convencer a médica que o atende que ele realmente tem algum problema. Para a doutora ele é apenas um sujeito com problemas psicológicos sérios e nada mais. Enquanto isso Saul tem que correr atrás de clientes - e ele escolhe um asilo de idosos - seu cinismo nessa cena é a melhor coisa do episódio. Muito divertido. No mais a série ainda luta para encontrar seu próprio caminho. Por enquanto ainda não encontrou o tom certo. / Better Call Saul 1.05 - Alpine Shepherd Boy (EUA, 2015) Direção: Nicole Kassell / Roteiro: Vince Gilligan, Peter Gould  / Elenco: Bob Odenkirk, Jonathan Banks, Rhea Seehorn.

Pablo Aluísio e Júlio Abreu.

2 comentários:

  1. Já assisti a duas temporadas de Better Call Saul. Não chega a ser nem um sub-Breaking Bad, da qual deriva mas é bacaninha, porém...lento...lento...len...

    PS. Também o que eu queria? O Saul é personagem mais insuportável de Breaking Bad, junto com o mulher, o filho e a cunhada.

    ResponderExcluir
  2. Eu deixei Better Call Saul de lado...

    Não gostei muito. Como você disse é lento e cansativo também. Alguns personagens só funcionam como escada, como coadjuvante. Como protagonista eles perdem a graça...

    ResponderExcluir