sábado, 5 de março de 2016

O Beatle George

Relendo algumas antigas entrevistas de John Lennon eu pude constatar como ele, Lennon, via seu colega de banda, George Harrison. Para quem não sabe foi Paul que trouxe George para os Beatles. Eles moravam perto em Liverpool e o fato de que ambos gostavam muito de música os aproximou. Quando Paul entrou para o grupo de John esse lhe perguntou se ele não tinha ninguém para entrar na banda, já que os antigos membros tinham ido embora. Paul então levou George para conhecer John. A questão era que Harrison não passava de um adolescente ou nas palavras de John, "Um fedelho".

Harrison tinha pouco mais de quinze anos de idade e isso era demais para John que já havia terminado o ensino médio e estava frequentando uma escola de arte na cidade, onde obviamente todos eram bem mais velhos, fumavam, bebiam e se envolviam em confusões pelos bares da cidade. John de certo modo teria vergonha de ser visto ao lado de um garoto como George, que mal havia saído debaixo das saias da mãe. No primeiro encontro, por essas e outras razões, John recusou George no que viria a se tornar no futuro os Beatles. Paul porém tinha suas próprias ideias sobre Harrison. Achava que ele tocava bem, muito mais aliás do que Stu, o grande amigo de John, que apenas fingia tocar baixo. Assim depois de muita insistência, meio constrangido e quase sem ninguém para tocar em seu grupo musical, John acabou colocando aquele garoto para dentro de seu conjunto.

Essa postura de certa insegurança e subordinação dentro dos Beatles acabou acompanhando George pelo resto da carreira. Só quando os Beatles estavam prestes a se separar é que George finalmente desabrochou como grande compositor e criador de belas músicas como "Something" e "Here Comes The Sun". Na parte do tempo ele apenas se mostrava dentro dos estúdios Abbey Road como um competente guitarrista solo do grupo. Numa das entrevistas John Lennon, chateado com a biografia que George havia escrito, desabafou dizendo: "George vivia me seguindo por aí, como um garotinho que segue seu ídolo. Assim quando ele escreveu seu livro pensei que ele iria reconhecer tudo isso, mas não, ele praticamente não falou da minha influência sobre ele! Eu tinha muito trabalho com as minhas músicas e as de Paul, mas sempre achei espaço para ajudar nas canções de George como Taxman. Nunca pedi reconhecimento, mas ele parece que esqueceu tudo o que eu fiz por ele!"

Excessos de zelo por parte de John Lennon? Certamente. O fato é que George Harrison seguiu seu próprio caminho na carreira solo, sempre com dois gênios à sombra, tentando se firmar como artista completo, longe de Lennon e McCartney. Não foi algo fácil de alcançar. Todos os seus álbuns acabavam sendo comparados com os de John e Paul, algo que o irritava profundamente. Isso também fez com que George mantivesse um relacionamento conturbado com a imprensa de um modo em geral. Sua esquiva de dar entrevistas ou colaborar com os jornalistas lhe trouxe uma fama de tímido e introspectivo, culminando com o título de "O Beatle Quieto", algo que nem sempre lhe agradou.

Pablo Aluísio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário