sábado, 5 de março de 2016

70 Anos do Fim da II Guerra Mundial

70 Anos do Fim da II Guerra Mundial - Há pouco tempo o mundo celebrou o fim do maior conflito armado da história - a II Grande Guerra Mundial. Não houve, em nenhum período histórico, tantas mortes e tantas atrocidades como nessa guerra. Cada país obviamente está lembrando seus mortos, mas em termos numéricos quem pagou mais caro pelo conflito foram os russos. Na época existia um conglomerado de países satélites à Rússia, todos unidos sob uma forte dominação de Moscou.

Essa federação de países era chamada de União Soviética. No poder desse vasto império comunista estava o líder supremo Stálin, um psicopata sem escrúpulos que matou milhões de pessoas dentro e fora de seu país. Um genocida à altura de Hitler. Antes da guerra Stálin firmou um acordo de não agressão com Hitler, mas obviamente fazer pactos com o diabo nunca dá muito certo. Após triunfar no front ocidental, onde invadiu e tomou em tempo recorde a França, Hitler colocou os seus olhos insanos sobre o vasto império soviético. A invasão, a maior da história, logo se revelou um desastre completo. Milhões de pessoas perderam suas vidas, mas o povo russo lutou bravamente, muitas vezes comendo ratos e praticando canibalismo para sobreviver a grande fome que se alastrou pelo território soviético.

A batalha foi casa a casa, portão a portão. Cada russo foi armado para defender seu terreno. A rendição não era uma opção. Os soldados alemães, por sua vez, foram devidamente trucidados pela população e pelo exército vermelho, além de congelarem no frio implacável do inverno russo. Curiosamente o que deveria ser uma vitória heróica acabou também despertando situações constrangedoras na Europa no dia de hoje, principalmente pelo fato da BBC inglesa ter lembrado dos estupros coletivos promovidos pelo exército soviético quando entrou em território alemão. Claro que nada justificaria tais crimes, porém o ímpeto feroz de vingança dos soviéticos talvez explique em parte mais essa tragédia humana que a guerra legou.

Já dentro das fronteiras russas impera uma lei que pune severamente quem destrate a memória do soldado soviético na II Guerra, o que talvez explique até hoje porque o fato é praticamente desconhecido do próprio povo russo. É proibido ensinar isso em aulas de história, por exemplo. Apagar parte da história com leis draconianas não me parece ser o caminho certo. Um dia a verdade sempre se revela.

Pablo Aluísio. 

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Publicado originalmente no blog História & Literatura
    Pablo Aluísio
    Todos os direitos reservados.

    ResponderExcluir