quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

He Never Died

Título Original: He Never Died
Título no Brasil: Ainda Não Definido
Ano de Produção: 2015
País: Estados Unidos, Canadá
Estúdio: Alternate Ending Studios
Direção: Jason Krawczyk
Roteiro: Jason Krawczyk
Elenco: Henry Rollins, Jordan Todosey, Kate Greenhouse
  
Sinopse:
Jack (Henry Rollins) é um sujeito estranho que leva uma vida bem monótona. Ele mora em uma pequena pensão, dorme praticamente o dia todo e só sai para fazer refeições numa pequena lanchonete próxima onde parece atrair as atenções da garçonete Cara (Kate Greenhouse). O problema é que Jack não parece ter muitos interesses em seres humanos em geral. Sua vida sem novidades muda porém completamente com a chegada de sua filha Andrea (Jordan Todosey), fruto de um caso ligeiro que teve no passado. Filme indicado ao Fangoria Chainsaw Awards.

Comentários:
Bem fraco esse filme que tenta revitalizar esse tipo de gênero onde os personagens principais parecem ter alguma ligação com o mundo do além. Para não deixar tudo no escuro é bom ir esclarecendo que o roteiro passa o tempo todo insinuando que o personagem Jack (Henry Rollins) seria uma espécie de anjo! Isso mesmo. Ele tem duas enormes cicatrizes nas costas, apresenta um comportamento anti-social e fora dos padrões (para não dizer esquisito) e não parece se importar muito em ter relações sociais, mesmo quando uma filha surge em sua vida. Até que esse tipo de enredo poderia render alguma coisa a mais, o problema é que o tal de Jack é chato até dizer chega! Ele não tem qualquer carisma e passeia por todo o filme com cara de tédio e enfadonho. Com isso o espectador também acaba entediado. Em determinado momento vai ser complicado para você se manter acordado, mesmo que eventualmente surja alguma briga no meio do caminho de Jack. Infelizmente nem isso se salva. Se fosse definir de forma definitiva esse filme eu diria que ele é acima de tudo bem chato, coloca chato nisso. Melhor não perder seu tempo, a não ser que você esteja com problemas de insônia e queira dormir. Poucos minutos desse filme o derrubarão, pode ter certeza disso. 

Pablo Aluísio e Júlio Abreu.

Um comentário:

  1. Publicado originalmente no blog Terror & Ficção
    Pablo Aluísio
    Todos os direitos reservados.

    ResponderExcluir