domingo, 31 de maio de 2015

Peggy Sue, Seu Passado a Espera / Na Rota do Oriente

Peggy Sue, Seu Passado a Espera
Definitivamente nunca gostei de "Peggy Sue", o que não deixa de ser algo surpreendente. Não é segredo para absolutamente ninguém que eu sempre gostei muito dos anos 1950. A cultura, tanto do ponto de vista musical como cinematográfica, sempre me agradou muito. Assim é de se admirar que eu realmente não tenha apreciado esse filme nostálgico sobre uma mulher que descobre que sua vida definitivamente não tomou o rumo certo. Frustrada e deprimida, ela acaba desejando voltar ao passado, em plenos anos 50, para consertar todos os seus erros. Então sem muita explicação lógica lá está a personagem de Kathleen Turner de volta aos anos de colégio, aos primeiros amores e passos na vida. A diferença agora é que ela tem uma mente de uma mulher madura e calejada pelas experiências vividas e assim começa a mudar tudo, pensando em finalmente ter um destino melhor para seu futuro. As coisas parecem no lugar nesse filme assinado pelo mestre Francis Ford Coppola, um dos meus diretores preferidos. O problema é que o enredo nunca se encaixa direito. De fato é necessário uma dose fora do normal de cumplicidade para curtir o filme em seu proposta principal. Quando a volta ao passado é jogada assim na cara do espectador, sem nenhuma explicação melhor, as coisas realmente ficam comprometidas. Se você não comprar a ideia do roteiro nos primeiros 20 minutos tudo vai acabar indo por água abaixo. Muito provavelmente é o que aconteceu no meu caso. Apesar de ser um fã da cultura vintage não consegui absorver a proposta (ou falta dela) de um roteiro que soa muitas vezes muito forçado e sem sentido. A direção de arte é bonita, a trilha sonora é recheada de grandes clássicos e Kathleen Turner está deslumbrante com seu figurino nostálgico. Nem tudo isso porém salva o filme de si mesmo. Uma grande pena. Faltou realmente uma dose maior de imaginação de seus roteiristas. Filme indicado ao Oscar nas categorias de Melhor Atriz (Kathleen Turner), Melhor Fotografia (Jordan Cronenweth) e Melhor Figurino (Theadora Van Runkle). Também indicado ao Globo de Ouro nas categorias de Melhor Filme - Comédia ou Musical e Melhor Atriz (Kathleen Turner). / Peggy Sue, Seu Passado a Espera (Peggy Sue Got Married, EUA, 1986) Direção: Francis Ford Coppola / Roteiro: Jerry Leichtling, Arlene Sarner / Elenco: Kathleen Turner, Nicolas Cage, Barry Miller.

Na Rota do Oriente
Tom Selleck foi o escolhido pelo diretor Steven Spielberg para estrelar o primeiro filme com o personagem Indiana Jones, "Os Caçadores da Arca Perdida". O próprio personagem em si foi escrito e criado pela dobradinha Spielberg e George Lucas com o ator em mente. Selleck porém nunca interpretaria o mais famoso arqueólogo da história do cinema. Ele tinha compromissos contratuais com a série "Magnum" que na época era um dos maiores sucessos de audiência da TV americana. Assim teve que recusar o convite, que muito provavelmente teria mudado sua carreira para sempre. O sucesso do filme de Spielberg foi espetacular, uma das maiores bilheterias de todos os tempos. Imaginem o que teve ter sentido o pobre Selleck vendo Harrison Ford se consagrar em um papel que tinha sido escrito especialmente para ele. Como não se pode voltar atrás, retornando ao passado para consertar velhos erros, o jeito foi tentar superar tudo isso de uma maneira diferente. Assim Selleck surgiu nas telas com essa aventura "High Road to China". Um filme que, assim como as produções com Indiana Jones, procuravam reviver o espírito dos antigos filmes de aventuras das matinês das décadas de 1930 e 1940. Infelizmente só ficou tudo nas boas intenções mesmo. Apesar de ter boas cenas, principalmente captadas no ar, por cima de montanhas geladas, o filme nunca decola de verdade. É mal escrito e tem um roteiro chato e confuso. A boa produção está lá, Selleck o ex-futuro Indy também, mas nada dá muito certo. Um filme bonito de se ver, temos que admitir, mas complicado de se chegar até o fim por causa de seu desenvolvimento arrastado e tedioso. Para piorar foi um tremendo fracasso de bilheteria, sumindo dos cinemas tão rapidamente como chegou. Outra boa produção que foi prejudicada por um roteiro ruim. Mesmo com todos esse problemas "Na Rota do Oriente" ainda conseguiu ser indicado ao prêmio da Academy of Science Fiction, Fantasy & Horror Films nas categorias de Melhor Filme - Fantasia e Melhor Atriz (Bess Armstrong). Um breve consolo que evitou que o filme se tornasse um desastre completo e absoluto. / Na Rota do Oriente (High Road to China, EUA, Iugoslávia, Hong Kong, 1983) Direção: Brian G. Hutton / Roteiro: Jon Cleary, Sandra Weintraub/ Elenco: Tom Selleck, Bess Armstrong, Jack Weston.

Pablo Aluísio e Júlio Abreu.

Um comentário:

  1. Cotações:
    Peggy Sue, Seu Passado a Espera ★★
    Na Rota do Oriente ★★

    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir